FAPEC
Assembleia a  04 a 18/12
(67) 99826-0686
cidade natal pmcg

“É tudo enjambrado”, afirmam moradores sobre ponte que dá acesso ao IFMS de Aquidauana

Lugar é palco constantemente de acidentes

4 DEZ 2017
Bruna Vasconcelos
17h48min
População sinalizou local com galhos Foto: Luiz Maique

O estado precário da ponte que é um dos principais acessos ao Instituto Federal de Mato Grosso do Sul (IFMS), em Aquidauana, tem revoltado moradores e causado acidentes na região.

Localizada na rua Sete de Setembro, na Vila Ycaraí, a ponte esta intransitável desde as últimas chuvas que causaram um enorme buraco nas extremidades. Além disso, a madeira que compõe o acesso está deteriorada, causando medo nos motoristas. A própria população, cansada do descaso por parte do Poder Público, sinalizou o local com galhos e folhas para evitar acidentes.

 

Amaro dos Santos, de 70 anos, é um dos moradores das proximidades da ponte. Ele conta que na última semana um motorista desavisado caiu com o carro dentro do buraco e precisou ser socorrido na madrugada pela população.

O idoso ainda afirma que a Prefeitura Municipal depositou “entulhos” a fim de tampar o buraco, mas a água da chuva carregou os cascalhos e abriu ainda mais a cratera. Sobre a reforma, o morador conta que a última foi realizada há 3 anos, mas a falta de qualidade do material não resolveu o problema.

“Uns 3 anos atrás, essa ponte foi reformada, mas usaram madeira podre, agora tá toda ruim novamente. A Prefeitura tinha que fazer ela de concreto porque é passagem para os alunos do Institutos e via mais fácil para quem mora do outro lado. Agora eles vem aqui e querem só enjambrar.”

Indicação

Em fevereiro deste ano, o vereador Edinho Grance (DEM) enviou à Prefeitura Municipal o pedido para a reforma da ponte de madeira que, na época, já apresentava riscos para quem precisasse passar por ela.

No dia 18 de abril, o gerente Municipal de Obras e Serviços Urbanos, Archibald Macintyre (Mac), respondeu que solicitou à Gerência Municipal de Planejamento um laudo técnico para que depois a Secretaria de Obras desse um parecer. Até o momento o vereador não obteve mais respostas por parte da Prefeitura Municipal.

 

Veja também