Nilson Pugatti
(67) 99826-0686
PMCG IPTU 2019

Pelas redes sociais, comissionado ostenta dois empregos públicos no mesmo horário em MS

Agepen garantiu que vai abrir procedimento administrativo

19 JUN 2018
Bruna Vasconcelos
07h00min
Foto: Reprodução / Facebook

Um servidor comissionado da Secretaria Municipal de Educação de Aquidauana não esconde a felicidade de ter sido nomeado como agente penitenciário em Jardim. Pelas redes sociais, o funcionário publica fotos com o uniforme da Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário (Agepen) e também em ações pelo Departamento Municipal de Trânsito, onde está designado, em Aquidauana.

No dia 15 de março de 2017, o homem foi nomeado no cargo de provimento em comissão de Coordenador Pedagógico do Programa e Projeto Educacionais, na Prefeitura de Aquidauana, com carga horária de 30h semanais.  Em 2 de maio deste ano, o servidor teve a carga horária reduzida para 20h semanais. As informações foram divulgadas no Diário Oficial do município.

Porém no dia 3 de março, o funcionário comissionado assumiu o cargo de agente penitenciário no Estabelecimento Penal Máximo Romero - presídio masculino de regime fechado de Jardim. Por meio de assessoria de imprensa, a Agepen informou que o plantão dos agentes é de 24h trabalhadas e 72h de folga, podendo haver troca entre os servidores. 

A reportagem do TopMídiaNews questionou a Secretaria de Educação sobre as 4 horas diárias que o servidor deveria estar trabalhando em Aquidauana nos dias de plantão no Estabelecimento Penal de Jardim.

O secretário Mauro Batista pediu um prazo até a última quarta-feira (14) para verificar os horários de plantão em Jardim, mas afirmou que até o fechamento da matéria não obteve a resposta da Agepen.

Em comunicado oficial, a Agepen informa que desconhece que o referido servidor penitenciário ocupe outra função pública. Destacando que todas as trocas de escala são autorizadas conforme a conveniência administrativa. A direção da Agepen determinou abertura de procedimento administrativo pela Corregedoria da instituição para apurar a conduta do servidor.

O agente penitenciário procurou a reportagem e afirmou que “espera que esse assunto não prossiga porque muita gente será prejudicada” e completou “estamos conversados? Espero que esse assunto encerre aqui.”

Sobre a afirmativa, o secretário Mauro Batista afirmou que não iria opinar devido à declaração parecer algo de foro pessoal do servidor.

 

Veja também