(67) 99826-0686

Um artista completo, Gustavo Vargas combina música e teatro no mesmo palco

Artista começou a carreira ainda adolescente e sonha em fazer parceria com Ney Matogrosso

11 SET 2017
Kerolyn Araújo
11h16min
Foto: Wesley Ortiz

Natural de Aquidauana, distante a 148 quilômetros da Capital Morena, o cantor Gustavo Vargas deu os primeiros passos na carreira de artista em Corumbá, cidade onde foi criado. Um artista completo, como podemos chamá-lo, Gustavo está na estrada há 17 anos e conseguiu conciliar os estudos com a arte. Formado em ciências sociais e mestrando em psicologia, o artista faz da música e teatro o sentido da vida.

Sem um estilo definido, Gustavo sonha em fazer parceria com Ney Mato Grosso, que é sua inspiração. Conheça mais um pouco do artista na entrevista feita pelo TopMídiaNews:

TopMídiaNews: Quando você deu início a sua carreira?

Gustavo: Sou de Aquidauana, mas fui criado em Corumbá. Lá, no ano 2000, comecei a me apresentar muito cedo em barzinhos e eventos fechados. Naquela época eu só tocava e dava uma de ator.

TopMídiaNews: O que a música significa pra você?

Gustavo: Eu sempre encarei a música como ofício. A música não é simplesmente um produto. É um trabalho, mas que tem um fim multifatorial, que atinge várias esferas, seja ela financeira ou emocional, mas não é só música. A música pra mim é teatro no palco.

TopMídiaNews: Você começou a tocar bem cedo. Você tinha o apoio dos pais? Como foi?

Gustavo: No começo tive reprovação. Depois, aos 18 anos, quando saiu uma matéria falando sobre mim na mídia, recebi até ligações dos meus avós de Aquidauana. Eles falaram que estavam felizes porque tinham um neto artista. Mas isso só aconteceu depois da matéria. Como toda a família brasileira, principalmente sul-mato-grossense, ser músico e não ser nada quase não tem distinção.  A música não é vista como profissão.

TopMídiaNews: E quando você mudou-se para Campo Grande? Já começou se apresentando em bar?

Gustavo: Vim para Campo Grande em 2003, quando me envolvi com o teatro. O bar é sempre uma forma de sustento no início da carreira. Depois, se torna um tipo de ensaio. O bar é o modo de sustento da pessoa na arte, mas pra mim se tornou uma forma de ensaio daquilo que eu vou fazer no espetáculo. 

TopMídiaNews: E qual é o seu estilo musical?

Gustavo: Sempre busco mesclar as coisas, não tenho um estilo definido. Eu apenas sei do que eu não gosto, um exemplo é o sertanejo universitário. Talvez sou MPB, que cabe de tudo. Meu estilo acaba sendo não ter um estilo.

TopMídiaNews: Você fez uma parceira com o cantor Chicão Castro, o 'Estação Luz'. O projeto vai continuar?

Gustavo: O Estação Luz foi um projeto maravilhoso em comemoração aos oito anos de amizade. O Chicão fez parcerias novas e tem outras prioridades. As pessoas estão esperando, mas provavelmente não vai mais acontecer. 

TopMídiaNews: Você pretende fazer carreira de Mato Grosso do Sul?

Gustavo: Hoje, a maior dificuldade do artista é abrir portas para o nacional. Quando abre, fica um tempo e some. Tenho convites, mas não quero sair daqui sem ter um trabalho feito. O objetivo agora é fazer composições novas, como já estou fazendo, e com base no estilo mais contemporâneo. O importante é fazer um trabalho novo, original. Algo que você olhe e fale: nunca vi nada igual.

TopMídiaNews: Teve um momento que marcou a sua carreira?

Gustavo: Uma vez estava tocando em um bar da cidade, há uns 8 ou 10 anos atrás. Uma pessoa chegou e falou que gostou muito da versão da música, disse que gostou da interpretação. Eu tinha tocado ''Uma pra Estrada''. Eu agradeci, ele perguntou meu nome e eu o dele. Quando ele me disse que era o Geraldo Roca, aquilo me chocou. Foi a primeira vez que eu tive contato com ele. Daí eu disse: essa música é sua! E ele respondeu que havia gostado muito da versão. Aquilo ficou marcado para o resto da vida.

TopMídiaNews: O que é ser Gustavo Vargas em Campo Grande, na terra do sertanejo universitário?

Gustavo Vargas: Existe luz no fim do túnel. Tem um público muito forte do sertanejo, mas  também tem outro muito forte que não é. Se toca uma música boa, que agrada, as pessoas compram a ideia. Campo Grande tem muito espaço. Se aqui fosse realmente a terra do sertanejo, nós não teríamos espaços. 

TopMídiaNews: E quais são os próximos projetos?

Gustavo Vargas: Em 2014 gravei um CD, o 'Era pra Ser'. Nos próximos dias ele estará disponível em todas as plataformas musicais. E também pretendo lançar no começo do ano que vem um DVD. Estou fazendo algumas parcerias e ele será com músicas inéditas. Quero fazer um trabalho que seja teatral, com trabalho de ator no palco, com encenação, luz, figurino e que a gente cante nisso. Essa é a ideia. Algo diferente do que as pessoas estão acostumadas. Ney Matogrosso faz isso muito bem, ele é uma referência.

Para conhecer mais sobre o trabalho do artista, acesse a FanPage de Gustavo Vargas no Facebook.

Veja também