(67) 99826-0686
PMCG Janeiro

Após 16 anos da morte de João Paulo, BMW é condenada pelo acidente

Justiça

30 OUT 2013
Leticia Daniel
18h48min
Divulgação

A justiça condenou  as empresas BMW do Brasil e BMW da Alemanha a pagar indenização por danos materiais pela morte do cantor João Paulo, que fazia dupla sertaneja com Daniel. A ação indenizatória foi encaminhada pela mulher, Roseni Barbosa dos Santos, e pela filha do cantor Jéssica Renata dos Reis. Para o advogado, Edilberto Acácio da Silva, representante da família do sertanejo, a compensação pode chegar a 500 milhões de reais, se não ultrapassar esse montante. No entanto, o processo pode durar anos.

 

A montadora BMW é responsabilizada pelo acidente do sertanejo João Paulo, morto em um acidente de carro quando pilotava um veículo da marca, em 12 de setembro de 1997, na Rodovia dos Bandeirantes.

 

De acordo com decisão da primeira instância tomada no último dia 21, o juiz Rodrigo César Fernandes Marinho, da 4ª Vara Cível Central de São Paulo, deu ganho de causa à viúva e à filha, pois alegam que o acidente foi provocado por um defeito no BMW 328i/A dirigido pelo sertanejo.

 

Segundo o advogado Silva, “O pleito é para que elas recebam uma pensão mensal equivalente a dois terços dos rendimentos que ele teve nos últimos seis meses de vida. João Paulo ganhava mais de 1 milhão de reais por mês, em valores corrigidos. Na sentença, o juiz determina que a pensão deveria ser paga desde a morte até a data em que João Paulo completaria 70 anos. Quando da decisão final, as herdeiras devem receber os valores atrasados de uma vez. Se a decisão final fosse agora, por exemplo, elas receberiam pelos 14 anos desde a morte, de uma única vez, o que daria cerca de 500 milhões de reais, a ser dividido entre as duas", afirmou ele.

 

O advogado, ficou decepcionado com a demora na decisão do processo. "Justiça que tarda não é Justiça. Compartilho dessa filosofia. A vitória não é saborosa nesse caso", declarou Silva.

 

Através de nota oficial, a BMW do Brasil afirma que discorda da decisão e que deve recorrer. "A BMW do Brasil informa que não concorda com a decisão. Como de costume, a BMW do Brasil compromete-se a tratar do assunto com transparência", finalizou.

Veja também