Tribunal de contas - maio
Top Midia Paineis publicitarios Ltda
(67) 99826-0686
CG bem melhor - maio

Após detonar 'Que tiro foi esse?', Vercillo se explica e faz versão

'Eu nunca generalizei nada em minha vida nem em minha carreira! Eu fui sincero quando disse que não conhecia', disse o cantor

14 FEV 2018
Extra
12h59min
Foto: Extra

Jorge Vercillo, que no início de fevereiro fez um texto criticando a música “Que tiro foi esse”, de Jojo Todynho, publicou uma nova mensagem explicando seu desabafo. Na ocasião, o cantor chegou a escrever: “Que tiro foi esse? Que acertou os tímpanos do nosso povo fazendo-os ouvir lixo achando que é música”. Em sua página do Facebook, o artista também gravou um vídeo tocando a canção no violão: “Só assim vocês entendem que eu não tenho nada contra”. Leia a mensagem de Vercillo:

“Eu nunca generalizei nada em minha vida nem em minha carreira! Eu fui sincero quando disse que não conhecia ‘Que tiro foi esse’ nem sua intérprete. Tive de ouvi-la depois de tanta polêmica. Essa música não é meu estilo mas fiz questão de fazer essa versão dela e da música do Pabllo (que gosto da melodia) para vocês perceberem como elas são diferentes das outras que eu estava me referindo nos meus textos. São bem diferentes de alguns funks e algumas sofrências que andam poluindo nossos ouvidos por todo país. Como, por exemplo : ‘Meu pau te ama’ e várias outras que a própria classe média abraçou e não se permite ouvir outra coisa”.

O artista opinou ainda que as músicas de Jojo Todynho e de Pabllo Vittar têm conteúdo, diferentemente de outras canções que têm alcançado sucesso. No post, Vercillo cita um trecho de funk de MC Kevinho:

“Existe uma diferença muito clara entre músicas simples como essas, que trazem algum conteúdo, mesmo não sendo a nossa linguagem musical e aquelas que nada somam pelo menos em minha vida. Vou dar outro exemplo: existem atualmente três ou quatro músicas que falam pra ‘descer com a bunda no chão’. Nem me incomoda por falar de bunda, mas é a falta de criatividade que nos cansa e acaba”.

Jorge Vercillo termina a mensagem dizendo que não mudou de opinião nem se arrepende de ter publicado o desabafo em sua página:

“Não me rendi a nada. Não sou pressionado por nada nem ninguém, nem por pessoas de um lado nem do outro, até até porque não escolho lados! Nem me coloco de refém de tribo nem time nenhum! Isso não é uma disputa, somos todos uma só família! Será que terei de ficar lembrando isso até quando? Nem muito menos mudei de opinião. Estou em meu espaço e me sinto extremamente a vontade pra expressar minhas opiniões e percepções. Eu não sigo nenhum clichê! Tem musicas que eu escuto e não gosto, não tem jeito. Sou chato e exigente. Tem outras que ouço e não me agridem. Conseguem entender essa diferença ? Mas é do povo a responsabilidade de todas as músicas terem se tornado sucesso (...) De minha autoria: Quem subestima ao próximo, subestima a si mesmo”.

 

Veja também