(67) 99826-0686

Bloqueio do aparelho celular já pode ser realizado em todas as delegacias da Polícia Civil da Capita

Cadastro de Estações Móveis Impedidas conta atualmente com mais de 6,5 milhões de celulares impedidos no sistema

11 SET 2017
Da Redação
12h27min

A Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp) passou a ter acesso desde a última quarta-feira (6.9) ao Cadastro de Estações Móveis Impedidas (CEMI), que é uma plataforma centralizada que objetiva impedir que aparelhos de telefonia móvel roubados, furtados ou extraviados sejam utilizados indevidamente nas redes das operadoras brasileiras. Criado no ano de 2000, o cadastro conta atualmente com mais de 6,5 milhões de celulares impedidos no sistema.

O termo de adesão foi assinado pelo secretário de Estado de Justiça e Segurança Pública, José Carlos Barbosa, o delegado-geral da Polícia Civil, Marcelo Vargas, e a gerente Regional da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), Vera Lúcia Sierburger, na sede da Delegacia Geral, no Parque dos Poderes, em Campo Grande.

O bloqueio já era possível, no entanto, o usuário tinha que entrar em contato com a operadora móvel e informar o número de série, conhecido como IMEI. Algumas até exigiam o envio do boletim de ocorrência por fax ou e-mail.

Para o secretário José Carlos Barbosa, esse é um passo extremamente importante para combater a criminalidade, pois agiliza o trabalho policial e possibilita que pelo boletim de ocorrência o telefone móvel, furtado, roubado ou extraviado, possa ser bloqueado pelo próprio policial mesmo sem o número do IMEI, apenas com o número do celular. “Neste primeiro momento a Capital será atendida, mas o planejamento é estender para todo o Estado”, informou.

O dirigente da Sejusp acredita que a medida vai ajudar a reduzir os índices de roubos e furtos de equipamentos de celular. Os dados confirmam que os telefones móveis têm sido um dos principais alvos dos criminosos, do início do ano até o mês de agosto dos 7.590 roubos registrados em Mato Grosso do Sul 63,47% foram de celulares. Já na Capital, das 4.609 ocorrências 68,71% estavam relacionadas aos telefones móveis.

O delegado-geral Marcelo Vargas disse que anteriormente os furtos eram em residências e os objetos de desejo dos ladrões da década de 90 eram os aparelhos de videocassete, os televisores, depois os DVDs e agora o objeto de desejo é o aparelho celular em razão do valor agregado. “Hoje você compra um televisor por R$ 900, mas encontra no mercado celulares  que custam mais de R$ 3 mil. No mercado paralelo esse tipo de aparelho pode ser vendido até por R$ 800”, enfatizou.

Conforme a gerente Regional da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), Vera Lúcia Sierburgero, na prática o aparelho uma vez bloqueado fica inutilizado e qualquer chip independente da operadora que for inserido nesse celular bloqueado não vai funcionar. “Como o celular não poderá mais ser habilitado, também não receberá mais chamadas e até mesmo acessar a internet através da rede de dados móveis da operadora. A pessoa que estiver com o celular só poderá fazer uso das funções como tirar fotos, gravar vídeos, usar jogos, calculadora, entre outros”, explicou a gerente.

Entenda como será feito o bloqueio do celular

O bloqueio do celular perdido, furtado ou roubado é feito de duas formas: A primeira o usuário, ao ter seu aparelho celular roubado, por exemplo, ligará para a operadora de telefonia em que se encontra habilitado seu aparelho, e pedirá, além do bloqueio de sua linha telefônica, o bloqueio do aparelho celular roubado (sem necessidade de informar o IMEI do celular, apenas o número da linha).

A parti desse momento, a operadora irá identificar o número de IMEI de seu aparelho. Com ele à operadora irá entrar em contato com a ABR Telecom (empresa administrada pelas operadoras de telefonia e coordenada pela Anatel) e a ABR Telecom irá incluir aquele número de IMEI no cadastro Cadastro de Estações Móveis Impedidas (CEMI).

Já a segunda alternativa do usuário que tiver o seu aparelho celular furtado, é registrar a ocorrência na delegacia mais próxima (B.O). Com isso, o policial responsável irá acessar o sistema da ABR Telecom e irá solicitar a inclusão no CEMI do IMEI referente aquela linha telefônica. A ABR Telecom ira identificar o IMEI e incluir no CEMI. O celular estará bloqueado.

Veja também