(67) 99826-0686

Cantora mirim do 'The Voice Kids' é alvo de racismo e procura a polícia

Franciele Fernanda sofreu ação criminosa logo após sua apresentação, na Globo

11 JAN 2017
Blasting News
17h27min
Foto: Blasting News

Aos quatorze anos, Franciele Fernanda da Silva Cruz, ficou conhecida em todo o Brasil no último domingo, 8, quando apresentou na estreia da segunda temporada do 'The Voice Kids', reality show da Rede Globo de Televisão. Ela chamou a atenção pelo seu alto potencial vocal. Dois dias depois da apresentação, no entanto, Franciele voltou a ser notícia por conta de um assunto muito triste, o crime de racismo.

Por conta da exposição na televisão, a adolescente passou a receber ofensas por conta da sua cor de pele nas redes sociais. Os ataques começaram logo na sequência de uma música entoada na voz de Milton Nascimento. A performance de Franciele foi tão boa, que até mesmo Milton a elogiou através de sua página no Facebook. No entanto, muita gente ficou desagradada com tudo o que viu.

Os ataques contra a garotinha foram fortes. Após cantar 'Maria Maria', ela recebeu ofensas revoltantes. Por isso, ao lado da mãe, decidiu prestar uma queixa na DRCI, Delegacia de Repressão a Crimes de Informática, localizada na Zona Norte do Rio de Janeiro. As ofensas foram feita, especialmente, nos comentários do post publicado por Nascimento no Facebook. Em entrevista ao portal de notícias G1, a candidata disse que esses ataques a deixaram muito triste. Além disso, a adolescente relata que ficou muito indignada com tudo o que leu. Todas as ofensas, segundo ela, foram feitas pela mesma pessoa.

Não é a primeira vez que famosos brasileiros são alvos de racismo. Um dos casos mais recentes envolveu a filha adotiva do casal de atores Bruno Gagliasso e Giovanna Ewbank, Titi. A situação também virou caso de polícia e os envolvidos descobertos No caso envolvendo Titi, descobriu-se que a maior parte dos comentários era feito por uma menina.

"Fiquei muito feliz quando vi o post do Milton, ainda nem tive coragem de escrever agradecendo a ele", disse a cantora, que em seguida teve aquela felicidade mesclada com a tristeza de sofrer ataques criminosos nas redes sociais. De acordo com ela, a denúncia é importante, evitando que mais pessoas sofram o mesmo. A mãe da menina, Irineia Prates, de trinta e cinco anos, a acompanhou na delegacia e disse que a filha nunca tinha sido alvo de preconceito na vida.

Veja também