(67) 99826-0686
PMCG Janeiro

África do Sul corta álcool e viagens de 1ª classe de ministros

Medidas

27 OUT 2013
BBC Brasil
17h10min

Os sul-africanos aplaudiram uma série de novas medidas anunciadas pelo ministro das Finanças do país, Pravin Gordha, de barrar gastos de autoridades com álcool, viagens aéreas caras e excessos com cartões de crédito em uma tentativa de cortar custos do governo.

A medida acontece em um momento em que o Congresso Nacional Africano (CNA) – o maior partido político do país e que está no poder desde o fim do apartheid em 1994 – tenta melhorar a sua imagem perante o público, um ano antes das eleições gerais na África do Sul.

Apesar de o CNA ter grandes chances de ser reeleito, o partido deve perder parte das vagas que possui no Parlamento – hoje o CNA controla 66% do Legislativo. O partido é acusado de não conseguir melhorar as condições de vida dos mais pobres, não combater a corrupção e abusar dos gastos com dinheiro dos contribuintes.

Os sul-africanos têm sido "bombardeados" com relatos da imprensa de que seus ministros estão gastando demais.Recentemente, a governadora da província do Cabo do Norte, Sylvia Lucas, foi acusada de gastar mais de US$ 5 mil (cerca de R$ 10 mil) no seu cartão de crédito com comidas fast-food. Isso tudo ao longo de apenas dez meses.

Na última reforma ministerial, o presidente Jacob Zuma demitiu a ministra das Comunicações Dina Pule depois que foi revelado que o governo pagou pela passagem aérea de seu namorado, durante uma visita oficial.Outros ministros são acusados de beneficiar amigos em licitações públicas. Outros têm estilos de vida incompatíveis com seus cargos – dirigindo carros de US$ 100 mil, gastando com vinhos caros, viajando pelo mundo e se hospedando em hotéis de luxo.

Veja também