informe leilão
dr. hernia
(67) 99826-0686

Após 44 anos sem contato e com apenas uma foto antiga, idosa sonha em reencontrar irmão caçula

Lucinda diz que Valmir foi embora para trabalhar com o dono de uma padaria em São Paulo e nunca mais voltou a ver os familiares

11 JUN 2017
Dany Nascimento
15h15min
Valmir na foto enviada para a irmã, quando atuava como goleiro no Vasquinho Foto: Arquivo Familiar

Na esperança de encontrar o irmão mais novo, Lucinda Gomes da Cruz, 66 anos, guarda na mente e no coração a imagem do último contato que fez com o caçula Valmir Gomes da Cruz, no pequeno município de Barcelona, na Bahia. A idosa, que atualmente reside em Campo Grande, afirmou ao TopMídiaNews que sonha com um possível reencontro após 44 anos sem contato.

"Morávamos em Barcelona, que fica perto de Teixeira de Freitas, na Bahia, quando meu pai faleceu. Como meu pai trabalhava com uma família de coletor estadual, meu pai pediu que se eles se mudassem, que me levassem junto e que eu iria me separar daquela família apenas com casamento. Meu pai faleceu e meu irmão ficou com a minha mãe. Como aquela família se mudou para Salvador, eu fui junto com eles", diz a idosa.

Lucinda e Valmir são filhos de  Joana Maria de Jesus e Francisco Gomes da Cruz. De acordo com Lucinda, Valmir começou a trabalhar em uma padaria em Barcelona e, como o dono do estabelecimento estava de mudança e tinha pretensão de construir outro empreendimento em São Paulo, Valmir também deixou o pequeno município.

"Ele foi embora com o dono da padaria. Eu me casei e, em uma das visitas que consegui fazer para minha mãe, ela me pediu que procurasse meu irmão em São Paulo. Meu marido me deu um pouco de dinheiro e eu fui, mas não encontrei ele. Ele já não estava mais trabalhando na padaria e o dono do comércio disse que ele estava muito doente. Só que eu não consegui encontrar e fui embora. Quando falei para minha mãe, ela chorou muito e voltou para Barcelona", conta a idosa.

Meses depois, Lucinda voltou à casa da mãe, mas foi informada por vizinhos que ela tinha falecido há quatro dias. "Eu cheguei lá e os vizinhos me disseram que ela tinha morrido. Fui embora e nunca mais voltei naquele lugar".

A dona da residência da família que cuidou de Lucinda atendendo o pedido do pai, encaminhou uma carta que tinha sido enviada pelo irmão para a idosa. "Ele mandou uma foto mostrando que estava jogando no Vasquinho, ele era goleiro do Vasquinho, mas eu nunca mais consegui nenhum tipo de contato".

Se você conhece a família e possui informações sobre o paradeiro de Valmir, entre em contato com a família através do 67-99914-6117 ou 67-99242-0320. 

Veja também