(67) 99826-0686
PMCG ABRIL IPTU

Mato Grosso do Sul possui mais de 95 mil condutores acima de 65 anos

Dados do Detran apontam que Mato Grosso do Sul possui 119.513 condutores de 56 a 65 anos de idade e 95.864 com mais de 65 anos.

28 NOV 2016
Detran/MS
21h00min

Para o senhor Valter Francisco Dotto, que recentemente renovou sua Carteira Nacional de Habilitação (CNH) no Departamento Estadual de Trânsito (Detran-MS), não há uma data limite. “O idoso sabe de seus limites, do cuidado que ele tem que ter no trânsito e na vida”, afirma.

O Código de Trânsito Brasileiro (CTB) não determina qual idade às pessoas precisam parar de dirigir e nem a idade máxima para requerer ou renovar a CNH. No caso do usuário Valter, ele acabou de completar 79 anos, no dia 26 de novembro, e tirou sua primeira habilitação no ano de 1968, mas é categórico ao dizer que o preconceito com o idoso que dirige existe. “A gente sabe que muitas vezes a independência do idoso não agrada, você vê que existe preconceito. No meu caso, eu me sinto muito bem, viajo com minha esposa e sei dos meus limites. Acredito que a gente sabe a hora de parar de dirigir ”, ressalta.

Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a expectativa de vida dos brasileiros tem aumentado nos últimos anos. No início da década de 1990 (especificamente no ano de 1991) a expectativa era de 66 anos. Atualmente passou a ser de 75 anos de idade. Essa mudança deu-se devido a uma série de avanços como o desenvolvimento econômico, acesso à água tratada, saneamento básico, avanços da medicina e inclusão social.

Além disso, as pessoas idosas passaram a ser mais ativas, buscando qualidade de vida e mais independência no seu dia a dia. Isso fez com que a imagem do idoso em casa lendo jornal, ou participando de jogos de dominós em praças, ficasse no passado.

CNH

Para o médico credenciado do Detran-MS, Silvio Haddad, especialista em medicina do Tráfego, a chegada à terceira idade, por outro lado, exige maior atenção em alguns aspectos, entre eles o trânsito. “Sabemos que à medida que os anos passam as limitações vão aparecendo, dirigir depende de três funções básicas: a cognitiva que envolve o raciocínio, a motora e a sensório perceptiva. E cabe ao médico a avaliação destes fatores na renovação da CNH”, afirma Haddad.

No exame médico é avaliado também se o condutor poderá dirigir em horários especiais, após o pôr-do-sol, por exemplo.  Outra medida importante a ser destacada é que a partir dos 65 anos o período para renovação é reduzido de 5 para 3 anos; mas independentemente disso, o médico, ante às condições físicas do condutor, pode estabelecer prazos inferiores para novos exames. Em alguns casos, o perito pode solicitar a realização de exames mais específicos com especialistas ou encaminhar o usuário para ser avaliado por uma junta médica.

Haddad afirma ainda que na maioria das vezes o idoso sabe o momento de parar de dirigir: “temos alguns casos que a família interfere, mas muitas vezes o próprio idoso já tem a percepção das suas necessidades, das suas barreiras”.

Idosos Habilitados

Dados do Detran-MS apontam que no Estado temos 119.513 condutores de 56 a 65 anos de idade, sendo 86.341 homens e 33.172 mulheres.
Com mais de 65 anos 95.864, sendo 78.525 homens e 17.339 mulheres. Destes, 752 podem pilotar motocicletas, 61.557 estão habilitados na categoria B, destinada a automóveis de passeio. Além disso, existem aqueles que estão aptos para conduzirem veículos maiores, como caminhão e ônibus, sendo 23.966 para categoria C, 8.176 na categoria D e 1.427 na categoria E.

Veja também