(67) 99826-0686
PMCG Janeiro

Perícia não constata indícios de maus tratos a animais em instituto

Invasão

18 OUT 2013
Folha Online
14h17min
Ativistas entraram em instituto para resgatar animais que seriam vítimas de maus-tratos.

A perícia feita no Instituto Royal, em São Roque (SP), nesta sexta-feira, não constatou indícios de maus tratos aos animais do local. Os ativistas que invadiram a empresa e levaram cerca de 170 cães da raça beagle acusam o instituto de diversas irregularidades, entre elas maltratar os cachorros. As informações são da rádio CBN.

Os ativistas afirmam que a empresa se negou a negociar antes da invasão e que, por isso, os manifestantes forçaram a entrada no local e roubaram cães e coelhos do instituto.

Segundo o advogado da empresa, Fernando Karamm, a empresa tentará identificar os responsáveis pela invasão. O instituto deseja punir os invasores nos crimes de furto e dano.

Ativistas invadiram, por volta das 2h desta sexta-feira, a sede do Instituto Royal, em São Roque, no interior de São Paulo, para o resgate de cães da raça beagle que seriam usados em pesquisas científicas. Mais tarde, coelhos também foram retirados do local. Cerca de 150 pessoas participaram da invasão.

Ao longo do dia houve protestos na frente do portão do instituto, que utilizaria beagles em testes de produtos cosméticos e farmacêuticos por serem de médio porte, dóceis e considerados de raça pura, teoricamente com menos variações genéticas, o que torna os resultados dos testes mais exatos.

No local, foram vistos animais mutilados e cadáveres congelados. Não há confirmação oficial sobre prisão de ativistas.  

Veja também