TJMS
re9
(67) 99826-0686

Semana Nacional da Ciência e Tecnologia começa nesta quarta com atividades na Capital e no interior

A ideia é criar uma linguagem acessível à população que motive a discutissão sobre as implicações sociais da Ciência

17 OUT 2016
Assessoria
16h06min
Foto: Divulgação

 Com o tema “A Ciência Alimentando o Brasil”, acontece a Semana Nacional de Ciência e Tecnologia, de 17 a 23 deste mês, em praticamente todos os municípios do Estado. Em Campo Grande a 13ª edição do evento será realizada na Secretaria de Cultura, Turismo, Empreendedorismo e Inovação (Sectei) no período de 19 a 21 de outubro de 2016, com previsão de receber aproximadamente dois mil alunos de escolas públicas e particulares.

A abertura será no dia 19, às 8 horas, na Sectei, em uma atividade de aproximadamente 30 minutos, com hasteamento da bandeira e banda da Polícia Militar, seguido da fala do governador Reinaldo Azambuja e do secretário da Sectei, Renato Rosco. Em seguida o governador fará uma visita aos trabalhos dos estudantes que estarão com estandes das 11 regiões do Estado, uma parceria com a Secretaria de Educação.

O objetivo da Semana é aproximar a Ciência e Tecnologia da população, promovendo eventos que congregam centenas de instituições a fim de realizarem atividades de divulgação científica em todo o País. A ideia é criar uma linguagem acessível à população, por meios inovadores que estimulem a curiosidade e motivem a população a discutir as implicações sociais da Ciência, além de aprofundarem seus conhecimentos sobre o tema.

As ações foram ampliadas nos últimos anos. Em 2014, foram 106 atividades em 14 municípios do Estado; em 2015, foram 1.423 atividades em 53 municípios, e para 2016, a previsão é de 1.674 atividades em praticamente todos os municípios do Estado. O número de atividades vem crescendo em todo o Estado, fruto de uma interação entre as secretarias de Cultura e de Educação (Sectei e SED), exercendo a transversalidade e levando a ciência e tecnologia para o cotidiano dos alunos da rede pública do Estado.

O tema “A ciência alimentando o Brasil” tem ampla aderência no Estado de Mato Grosso do Sul, tanto pela importância do agronegócio para o Estado quanto pela significativa contribuição da ciência para esse sucesso (Embrapas, Universidades).

Para o secretário da Sectei, Renato Roscoe, a Semana vai levar para as pessoas tudo o que está sendo produzido na área de ciência e tecnologia no Estado. “A Semana é um momento levar a ciência para a sociedade, aproximar os cientistas da sociedade e a sociedade dos cientistas. Por isso há um esforço do Ministério e de todas as instituições de C&T do país, em especial, aqui do Estado de Mato Grosso do Sul, de popularização da ciência. Este ano vem com o tema ‘A ciência Alimentando o Brasil’. É um tema aderente, muito próximo do Estado de Mato Grosso do Sul, porque nós temos uma economia baseada na agricultura, nos seus diversos ramos, na agricultura de grãos, passando pela pecuária, que é forte no Estado, a cana-de-açúcar, que produz o alimento, açúcar e energia, além de ter a produção de papel e celulose através do eucalipto, também produção de energia, e gora materiais lenhosos, para móveis, painéis, compensados, etc. Enfim, é um mundo que a gente mostra e traz para a sociedade, da importância da agricultura para o nosso Estado, para o nosso país”.

O secretário afirma que a Semana traz temas importantes para discussão, “os desafios que nós temos pela frente, quais os caminhos que podemos seguir”. “Nós precisamos alimentar um mundo que vai indo para 9 bilhões de pessoas, isso nos dá o aumento da necessidade de alimentos, fibras e energia no mundo de cerca de 60% em relação ao que nós temos hoje, até 2050. Isso quer dizer que nós vamos ter que aumentar a produtividade, a produção das nossas áreas. E segundo estudos da FAO (Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação), o Brasil deve ser responsável por 40% dessa demanda que é levantada até 2050. Portanto, nós temos um Estado agrícola, com sua economia bastante baseada na agropecuária, e além disso, nós temos um Estado que pode contribuir muito para alimentar não só o Brasil, mas para alimentar o mundo também”.

Confira as principais instituições participantes e as atividades que serão desenvolvidas:

Fiocruz: palestras introdutórias sobre alimentação saudável conduzidas por especialistas no tema; palestra sobre Agroecologia e tecnologias sócias apropriadas à agricultura familiar, conduzida por especialista no tema e remetendo a experiências e situações já existentes no MS.

Arandu/UFMS: Painel Alimento das Sensações; Painel Agrotóxico e Transgênico; Painel Metodos de Conservação de Alimentos.

Supec: Atividade de demonstração das formas de transportes, armazenamento e preparação dos alimentos durante a uma comitiva pantaneira.

SED/NTE: Apresentação de 12 projetos rede estadual de ensino – Núcleo de Tecnologia Educacionais da SED/MS selecionou 12 projetos entre as 365 escolas estaduais para serem apresentados durante a SNCT em Campo Grande sendo eles: Campo Grande; Coxim, Dourados, Nova Andradina, Ponta Porã, Três Lagoas, Gloria de Dourados, Naviraí, Aquidauana e Jardim. Minicursos; Palestras; Oficinas; Micromundo 3D e filmes; Física em ação e Show da Química; Seminários de divulgação de pesquisas exibição de pôsters; Desmistificando a física e a química da cozinha Masterchef Science.

Mais informações na Superintendência de Ciência e Tecnologia pelo telefone (67) 3316-9165.

Veja também