conadhe
OUTUBRO ROSA
(67) 99826-0686

Filha que matou o pai e fugiu durante o velório é presa em MS

O marido da suspeita também está preso

5 OUT 2017
Anna Gomes
10h56min
Foto: Olimar Gamarra
interior-interna1
99

O casal Cristiane Mendes da Conceição (36) e Marcos da Silva (44) que estavam sendo procurados pela Polícia desde o último dia 18 de setembro por homicídio, foram presos pela Polícia Civil de Rio Brilhante. Eles foram apresentados nesta quarta-feira (4), em Rio Brilhante, município distante aproximadamente 160 quilômetros de Campo Grande.

A prisão

De acordo com informado pela Polícia, um investigador lotado na Delegacia de Rio Brilhante viajava com a família pela BR 163 sentido Dourados, quando ao passar pela Vila São Pedro (Dourados) viu Cristiane e seu marido as margens da rodovia. Fazendo o reconhecimento do casal, o policial imediatamente parou e deu voz de prisão aos dois, que não resistiram e logo confessaram o assassinato de Adão Luiz de Souza Xavier (61), ocorrido no dia 17 de setembro em um barraco as margens do prolongamento da Rua Benjamin Constant, saída para Dourados.

Filha confessou que matou

Em depoimento na delegacia, segundo o site Rio Brilhante em Tempo Real, Cristiane confessou  que desferiu o golpe de faca nas nádegas do pai enquanto ele estava de costas.

Segundo a mulher, ela e o pai haviam discutido naquele dia em razão de uma ''bebedeira''. "Começamos a beber na hora do almoço, eu meu marido e meu pai, bebemos uns quatro ou cinco corotes de pinga”, diz Cristiane.

Relata que os três estavam sentados na parte externa do barraco, quando no início da noite ela e o pai começaram a discussão, por motivo que ela não se recorda, apenas alega ser por "bebedeira". A filha conta que Adão foi para cima dela com um espeto, quando ela pegou uma faca que estava em cima de um poço e desferiu um golpe, acertando a região das nádegas do idoso.

Para Polícia, ainda de acordo com o site local, Cristiane conta que seu companheiro Marcos entrou no meio da discussão e retirou o espeto das mãos da vítima, quando Adão foi pegar o objeto novamente, ela foi atrás e o atingiu com a faca.

"Depois que dei a facada pedi desculpas para ele e continuamos bebendo”, diz a mulher. Relata ainda que após ser esfaqueado, Adão ainda voltou e sentou com os dois em uma cadeira onde continuou ingerindo bebida alcoólica, somente depois de cerca de 20 minutos começou a sentir-se mal e pediu para o levarem para a cama. Porém segundo Cristiane em nenhum momento o pai reclamou de dor e eles não perceberam sangue no corpo da vítima.

Já se arrastando Adão foi colocado na cama pelo genro. Depois disso o casal ainda continuou bebendo. Quando foi esquentar a janta, a mulher diz que pediu para Marcos chamar o pai para comer, foi quando perceberam que o mesmo estava gelado. Ela então teria pedido para um vizinho chamar a ambulância e a polícia, pois seu pai "parecia estar morto".


Com a chegada da polícia o casal permaneceu no local, e negaram a todo tempo que soubessem que Adão tivesse sido assassinado, mesmo depois da perícia constatar o golpe de arma branca. Em depoimento eles disseram que ficaram com medo de serem presos por isso não disseram a verdade. "Não contamos nada pra polícia e nem para o vizinho, estava como medo de ser presa”.

A faca

Cristiane e Marcos disseram que a faca usada é de aproximadamente 20 centímetros e foi jogada logo depois de usada no quintal. Apesar de buscas feitas pela polícia, a arma usada no crime não foi encontrada.

Inocenta o marido

Questionada quanto a participação de Marcos no crime, Cristiane diz que ele não teve nada a ver com a briga e que ele só retirou o espeto das mãos de Adão. "Eles se davam bem, nunca tiveram problemas", afirma.

A mulher que tem antecedentes por lesão corporal se diz arrependida e que a intenção não era matar o pai. ”Ele é meu pai mas não fui registrada nem criada por ele, só pela minha mãe. Minha convivência com ele era mais ou menos , estava morando com ele a uns três a quatro meses, antes disso morava em Dourados. Estou arrependida”.

Fuga durante velório

Os dois contam que no dia seguinte durante o velório de Adão na capela mortuária de Rio Brilhante, resolveram fugir, pois desconfiaram que a Polícia pudesse prendê-los.

Depois de seguirem de bicicleta para a BR 163, e dormirem as margens da estrada chegaram até a vila Vargas. Mesmo sem familiares naquela localidade, permaneceram na rua até serem presos.

Procurados

O casal que entrou em contradições em vários momentos, já estava com mandado de prisão expedido pela justiça. Eles vão responder por homicídio duplamente qualificado, motivo tope e meio que dificultou a defesa da vítima.

Após passarem por exames de corpo de delito no hospital foram encaminhados ao estabelecimento penal masculino e feminino da cidade.

De acordo co o Delegado do caso Andre Luiz de Mendonça Fernandes, o crime esta esclarecido, restando apenas algumas buscas na tentativa de localizar a faca usada no crime.

 

interior-interna2
nando viana

Veja também