(67) 99826-0686
AGEREG TARIFA MÍNIMA

Secretário é acusado de mandar nudes e assediar adolescente em MS

Caso aconteceu em Ponta Porã; professor diz que Facebook foi invadido por hacker

15 JAN 2018
Liziane Berrocal
07h00min

Um escândalo de conversas sexuais com direito a prints e nudes gerou um verdadeiro terremoto na cidade de Ponta Porã, distante 347 quilômetros da Capital. De um lado estaria um adolescente e do outro o secretário de esportes da cidade Hugo Roberto Gonçalves da Costa, o professor Hugo, responsável por um projeto de basquete na cidade que ficou nacionalmente conhecido.

O secretário também é ex-vereador da cidade e foi candidato a vereador pelo PSDB nas últimas eleições, mas saiu derrotado, ganhando o cargo de secretário de esportes. 

Nas conversas, por meio de aplicativo de mensagens, ele supostamente teria enviado convites sexuais para o adolescente e fotos de suas partes íntimas. O assunto chegou a delegacia da cidade, porém, segundo o delegado Lucas Caires, apesar de estar ciente do “boato” não havia sido lavrado nenhum boletim de ocorrência contra o professor.

“Por enquanto são apenas mensagens de grupos de WhatsApp. Estamos procurando se foi registrado algum B.O. mas até agora nada”, explicou o delegado. Segundo ele, apenas o professor lavrou boletim de ocorrência de que o Facebook dele havia hackeado.

O delegado afirmou que aguarda o B.O. para que sejam tomadas providências. “Na delegacia ainda não chegou o boletim de ocorrência da família do suposto adolescente”, afirmou.

Professor alega que perfil foi invadido

Em conversa com a reportagem o professor garantiu que seu perfil pessoal teria sido invadido e alguém teria feito as conversas no último dia do ano, porém, nas imagens das conversas divulgadas em grupos e enviadas para a redação, Hugo conversa com o rapaz em pelo menos duas ocasiões diferentes, e em uma delas envia a localização de um local em Caraguatatuba, no interior de São Paulo.

Em seu perfil pessoal, o professor realmente estava na cidade, conforme ele mesmo marcou. “Meu perfil foi invadido, e já está nas mãos da polícia para saber quem fez isso”, garantiu o professor solicitando que o advogado dele fosse procurado.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Advogado diz que conversa foi 'produzida' para tirar dinheiro

O advogado que cuida do caso apontou que tentaram extorquir seu cliente e apresentou outra tese e afirmando que as conversas podem se tratar de “montagens”.

“Uma pessoa entrou em contato com ele, dizendo que tinha um material contra ele e pedindo dinheiro para não contar para a mulher dele”, disse Marcelo Meneses. Segundo Meneses as conversas teriam sido levadas a polícia.

Para o advogado o material teria sido produzido, já deixando a tese de que o perfil teria sido invadido por um hacker. “Na verdade, como este material foi produzido a perícia vai dizer. Não é o professor Hugo a pessoa que viola a lei no caso, mas sim uma pessoa que tentou extorqui-lo. Certamente se isso houvesse acontecido esta pessoa e seus representantes viriam a público e trariam isto à tona”, defendeu.

Na Prefeitura de Ponta Porã o caso ainda é tratado com sigilo e de acordo com um representante que pediu para não ser identificado, seria esperado primeiro o caso vir a público para então tomar providências. “Ficamos sabendo do cada de forma extraoficial e que a mãe do rapaz iria fazer um boletim de ocorrência, mas até agora nada foi feito”.

 

Projeto conhecido

O projeto que é tocado pelo professor ficou nacionalmente conhecido após o jogador de basquete Oscar Schimidt doar a construção de um ginásio com quadra para o projeto e ser tema de uma reportagem na rede Globo. 

Veja também