TJMS
re9
(67) 99826-0686

Vereador acusado de agressão contra vereadora se diz ‘vítima de armação’

Edicarlos (PR) teria desferido soco contra Maria Donizete (PR) dentro da Câmara de Porto Murtinho

23 NOV 2016
Amanda Amaral
19h15min
Foto: Fronteira News

Envolvido em uma discussão que virou caso de polícia em Porto Murtinho, o vereador Edicarlos Lourenço (PR) se manifestou oficialmente através de nota, onde alega ter sido ele a vítima. Após o bate-boca, a vereadora Maria Donizete registrou boletim de ocorrência por agressão física dentro da Casa de Leis aconteceu na manhã desta quinta-feira (23) e foi gravada em áudio. Entenda o caso e ouça a gravação clicando aqui.

No texto em sua defesa, Edicarlos argumenta que tudo não passou de um ‘mal-entendido’ e que acredita ter feito parte de uma armação. Confira, abaixo:

Acredito que fizeram uma armação p/ me prejudicar perante a população e tentar sujar meu meu nome perante a justiça no dia de hoje em Porto

Murtinho. Entendo que,  com um único objetivo me prejudicar políticamente

Na manhã desta quarta feira 23, a Vereadora Maria Donizete  (PT) entrou na sala onde eu estava conversando com o vereador Carlos Heitor,  dirigiu-se a mim fazendo várias acusações, a vereadora dizia que eu havia chamado a sua filha de "Biscatinha" a algum tempo atrás,  mesmo eu informando a vereadora que na época que essa palavra foi proferida na rádio Não era para a sua filha.  Mesmo com a negativa das acusações feita,  a vereadora continuo gritando e gritando.

Foi A partir desse momento que eu comecei a gravar a conversa, ao perceber que eu estava gravando, a vereadora Donizete diz: Vc vai gravar?  Eu já estou gravando! foi aí que eu percebi que ela entrou na sala com um celular na mão gravando toda a discussão, dando o entender que aquilo era uma ação ensaiada. 

Todo momento eu permaneci sentado ao lado do vereador Carlos Heitor,  mas em um determinado momento, a vereadora Maria Donizete aumentou ainda mais o seu tom de voz e veio pra cima dando de dedo no meu rosto! Nesse momento, com a mão esquerda afastei suas mãos que estava próximo ao meu rosto e me levantei dizendo para ela gritar com seus filhos e não comigo.  Ao se  afastar, ela acabou tropeçando em uma cadeira que estava atrás dela e caiu primeiro na cadeira e depois no chão sendo auxiliada a levantar pelo colega Carlos Heitor.

Quero deixar claro que da minha parte não houve nenhum tipo de agressão! Nem física quanto verbal.

A vereadora Maria Donizete tem uma mágoa em relação a minha pessoa devido às cobranças que eu fazia a ela na época que  a mesma era secretária de educação do município.

abraços a todos”

Veja também