conadhe
OUTUBRO ROSA
(67) 99826-0686

Na Lata: chefe se acha dona de repartição pública e ameaça servidores

20 OUT 2017
Jesse James
08h30min

Servidores públicos estão sendo ameaçados por fazer o que acham certo. Essa é a situação do Cetremi (Centro de Triagem e Encaminhamento do Migrante) de Campo Grande. Funcionários entraram na alça de mira da chefia do local por denunciar as condições degradantes – inclusive para eles – que o centro se encontra,

“Nesta segunda-feira, às 15h30h, os funcionários foram coagidos e sofremos assédio por causa da matéria (que o TopMídiaNews denunciou, leia aqui), a chefe da divisão humilhou os funcionários em reunião. Em vez de querer resolver o problema, querem colocar por debaixo do tapete”, revelou um dos servidores.

“Ela está lá há três meses administrando e culpou os funcionários deixarem vazar os problemas da instituição”, completou.

Em Mato Grosso do Sul é assim: servidor leva a culpa pelo estado de calamidade dos órgãos públicos!

Na Lata: Enquanto segurança pública entra em colapso, secretário faz campanha à reeleição

19 OUT 2017
Zaphod Beeblebrox
14h29min

Pré-candidato à reeleição, o secretário estadual de Segura Pública, José Carlos Barbosa, o Barbosinha (PSB), parece mais preocupado com a campanha eleitoral que se aproxima do que com a administração da pasta.

Mesmo estando licenciado do mandato de deputado estadual, ele permanece com visitas ‘institucionais’ que nada tem a ver com segurança. Exemplo disso é a passagem pelo Cotolengo Sul-mato-grossense, entidade que atende crianças e adultos com paralisia cerebral.

E tudo amplamente divulgado nas redes sociais com a hashtag #atuacaoparlamentar!

Enquanto isso, a bandidagem rola solta e aumenta a sensação de insegurança em todo Estado...

Na Lata: Após Congresso salvar Aécio, Delcídio se prepara para lutar por mandato

18 OUT 2017
Diana Christie
12h33min

O ex-senador Delcídio do Amaral (Sem Partido) ficou feliz que só com a decisão que reintegrou o mandato de Aécio Neves (PSDB). Segundo o blog O Antagonista, com a medida, ele já prepara recurso ao Supremo para recuperar o mandato. “Está certíssimo”, opinam os comentaristas políticos Diogo Mainardi e Mario Sabino.

Aécio voltou ao Congresso com a ajuda dos três parlamentares que compõem a bancada sul-mato-grossense: Simone Tebet, Waldemir Moka e Pedro Chaves. Os mesmos que, com exceção de Chaves que era suplente, enterraram a carreira de Delcídio.

Na Lata: Deputado 'mata charada' e diz que protesto da JBS tem dedinho petista

17 OUT 2017
Leah Iorc e João Neves
16h20min

Demonstrando total revolta diante do protesto realizado por funcionários do grupo JBS na Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul, o presidente da CPI da JBS, deputado estadual Paulo Corrêa soltou o verbo. Ele deixou claro que enquanto alguns deputados ‘tomam as dores’ dos trabalhadores, ele continua mantendo os olhos bem abertos e já matou a ‘charada’ sobre quem estaria comandando a manifestação.

Para o parlamentar, "um deputado do PT que não faz parte da CPI" seria um dos líderes de todo o alvoroço na sessão ordinária desta terça-feira (17). Ele acredita que a mobilização caminha de mãos dadas com o Partido dos Trabalhadores e a CUT, já que os 30 ônibus responsáveis pelo deslocamento dos funcionários pertencem a Fetems.

@@NOTICIAS_RELACIONADAS@@

Para o parlamentar, que acredita que os trabalhadores estão servindo de massa da manobra para o grupo que está enrolado até o pescoço, os ônibus foram utilizados para mostrar serviço dos sindicatos, com um pequeno toque petista.

Na Lata: Aécio ‘matou’ Delcídio com arma que hoje tenta evitar

17 OUT 2017
Jesse James
09h40min

Aécio Neves terá o futuro definido nesta semana no Senado Federal, em Brasília. O grupo do senador afastado luta para deixar a votação, que pode dar novamente o cargo ao tucano, secreta. Ou seja: o País inteiro não saberia quem salvou – ou tentou salvar – Aécio. Até o momento, a votação está aberta por ordem do Supremo Tribunal Federal (cabe recurso).

Interessante lembrar que o próprio Aécio, então todo poderoso no Senado, lutou com todas as forças e tornou a votação que cassou Delcídio do Amaral aberta. Assim, os senadores tiveram aquela pressão extra para tirar o mandato do então petista. Hoje, o tucano quer votação secreta. Como os tempos mudam heim senhor Aécio Neves?

Na Lata: delação ‘derrama cerveja’ e promete lambuzar toda política de MS

16 OUT 2017
Jesse James
10h44min

Ivanildo Cunha Miranda. Pra quem não conhece: guarde esse nome. Famoso empresário conhecido como ‘cervejeiro’, apelido de décadas atrás quando trouxe uma cervejaria para Mato Grosso do Sul, Ivanildo é daqueles que vive as entranhas do poder. Tramita por todos os lados e esferas, doa em campanhas. Enfim, está no centro da política regional!

E agora também no centro da mais recente, e bombástica, delação brasileira, a de Lúcio Funaro. Antes, foi citado pelos irmãos Batista, aqueles do JBS. A função falada por todos: de ‘operador’, palavra bonita para descrever quem ajuda a carregar e negociar o dinheiro ilícito de um lado pro outro.

Executivo, legislativo e judiciário. O cervejeiro tramita nas tês esferas, e muito bem. Grande doador de campanhas políticas e amigo pessoal de políticos pra todo lado, Ivanildo pode, a qualquer momento, lambuzar todo quadro regional.

Pressionado, ele mesmo pode resolver fazer uma boa delação premiada e entregar a geral. Ou já não estaria delatando? É uma possibilidade..

Na Lata: Artista alerta para possibilidade de acidente com uso irregular da estátua de Manoel de Barros

15 OUT 2017
João das Neves
09h01min

O escultor e cartunista Ique Woitschach criticou nas redes sociais a exposição pública em locais abertos da estátua de bronze do poeta Manoel de Barros. “Uma temeridade essa escultura desta forma nesse local. Um risco muito grande. Fui surpreendido mais uma vez”, escreveu o criador da estátua.

O governo do Estado expôs a estátua no Parque das Nações Indígenas durante as comemorações do aniversário de 40 anos da criação de Mato Grosso do Sul. Ique explicou que apesar da base de metal aguentar os 400 quilos da estatua, ela não foi projetada para ser exposta de forma itinerante e pode causar um acidente.

“Essa base foi projetada pra servir de fundação. Enterrada e concretada ela aguenta sim os 400 kg de bronze da peça. Mas não houve previsão para a utilização desta forma. Com o centro de gravidade muito alto, ela corre o risco de cair se receber peso desproporcional em algum dos lados, e danificar a estrutura de sustentação”, completou o artista.

Prevista para ser instalada no canteiro da Avenida Afonso Pena, a estátua de Manoel de Barros foi alvo de disputa do MPE e da Justiça que não queriam a sua instalação no local previsto por ser sitio histórico militar. Após a polêmica ficou decidido que a estátua irá ser instalada na Avenida Afonso Pena entre a Rua Rui Barbosa e a Rua Pedro Celestino.

Na Lata: Do berço humilde ao resplendor, empresário tem muito a explicar sobre o passado

13 OUT 2017
Rei Julien e os Pinguins de Madagascar
11h57min
'Cabeça Branca' está envolvido em escândalo dos 'bois de papel'

O bom de quando se joga uma indireta, algumas caem como recibo. E se pelos cotovelos já causa imagine junto com um Na Lata? Pois é, e foi só tocar em apelidos, mesmo sem citar nomes, já teve muita coisa chegando à redação mais TOP.

A bola, ou cabeça, da vez foi certo empresário com apelido de “Cabeça Branca”. Bastante conhecido no mundinho fiscal, ele sempre foi homem de bastidores, mas talvez cansado de ser apenas coadjuvante, resolveu protagonizar cena que não era dele.

O problema é que se esqueceu de dois importantes ditados: o primeiro é que passarinho que come pedra sabe como vai fazer para sair e o bom cabrito não berra, mas também não morre. E bastou ele “botar a cara no sol” que a pedrada já veio em forma de lembranças.

“O cabeça Branca, já trabalhou na SEFAZ, era da mirim Seleta, trabalhando na xerox , lá aprendeu a falsificar diplomas de ensino médio. Claro, que tudo abafado, porque era menor. Foi contratado por empresa ‘digital’ para trabalhar na Agência Fazendária quando maior. Com total confiança do chefe, e dos superintendentes. Pessoa de lar humilde. Que merecia uma chance. Ganhava bem”, conta quem conhece pelo menos 40 anos de história do Estado.

Foi aí que tudo começou a mudar. “De repente um lote inteiro de notas fiscais sumiram, o motorista foi buscar as NF e não chegaram. Até hoje o motorista jura que entregou. O chefe, e as pessoas que receberam juraram de pé junto que não receberam”.

E como memória pouca é bobagem, a saga do “Cabeça Branca” continuou. “Foi um escândalo. Saiu nos jornais, mas tudo abafado. Depois de seis meses começaram a aparecer as notas, mas como era tudo manual, apenas algumas foram canceladas e não havia controle de numeração. E continuou a subida, chefe da Agenfa se aposentou e o braço direito assumiu, continuando o esquema. E o tal “cabeça branca”, rapaz de 20 e poucos anos, ficou muito bem. Assim começou a história, que os antigos sabem, afinal, são apenas 40 anos de Estado”.

E como história tem que ter final – ou não, vai da imaginação de cada um, os desfechos foram os esperados – ou não. “O motorista nunca foi mandado embora. Mas ficou marcado. Não teve culpa nenhuma, antigamente tudo era fácil. Tudo manual. Agora, o famoso cabeça branca ficou o questionamento. Como chegou a presidente de associação de frigoríficos, curtume? Alguma vez foi dono? Uma pessoa que morava numa casinha emprestada. Se foi trabalho parabéns, mas no fundo, quem conhece a história, sempre vai ter um pezinho atrás. Ainda mais depois de aparecer delatando esquema que pode inclusive, ter feito parte”...

E esse é o preço de querer ser protagonista da história alheia.

Na Lata: Nem com representação na Agepen agentes conseguem reivindicações

12 OUT 2017
Diana Christie e Rodson Willyams
12h43min

Não teve presença de governador, secretário ou diretor para intimidar a representação sindical dos agentes penitenciários. Presidente do sindicato da categoria, André Santiago mandou na lata e garantiu: mesmo tendo representante ocupando a cadeira máxima na Agepen (Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário), os avanços são ‘insignificantes’.

Segundo ele, o Governo não tem disposição para cumprir os compromissos com os agentes penitenciários. “Não queremos que exista atendimento diferenciado, apenas igual”, disparou. Para ele, não adianta entregar medalhas para os servidores, se não houver reconhecimento pelos serviços prestados.

Na Lata: Governador 'mexe em vespeiro' e defende quebra de sigilo entre advogado e cliente

11 OUT 2017
Liziane Berrocal e Rodson Willyams
09h30min

O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) resolveu mexer num “vespeiro”. Ele comentou abertamente que para combate ao crime, defende que os advogados de criminosos tenham o sigilo de conversa entre clientes quebrado.

Para ele, os traficantes usam os defensores para se protegerem e continuarem cometendo crimes. “A União deveria analisar nesse sentido”, pontuou. A proposta é polêmica e já foi combatida pela Ordem dos Advogados do Brasil.

Nesse caso, o problema é que o tiro poderia sair pela culatra, já que não seriam só os advogados de traficantes, mas de todos os criminosos.