(67) 99826-0686

A última vez que adolescente conversou com o pai sonhava com alta médica

A vida do 'adolescente sonhador' que queria trabalhar, pagar os estudos e ter uma vida melhor para ele e sua família, acabou se tornando um pesadelo

15 FEV 2017
Anna Gomes
14h44min

A última vez que o adolescente conversou com o pai, enquanto estava internado chegou a brincar e mesmo baixinho já sonhava com a alta médica e retornar para sua casa e ter uma vida normal.

"Mesmo falando baixinho, ele brincou com o pai dele falando que ele já estava bem e que era para ver se a família conseguia alta no hospital. Ele parecia estar bem, realmente o quadro de saúde estava melhora e de repente vem essa bomba e ele acabou nos deixando", disse o tio do adolescente durante o velório do sobrinho. 

A vida do 'adolescente sonhador' que queria trabalhar, pagar os estudos e ter uma vida melhor para ele e sua família, acabou se tornando um pesadelo a partir do último dia três de fevereiro. O rapaz foi vítima de uma crueldade realizada por Willian Henrique Larrea, 30 e Thiago Giovanni Demarco Sena, 20, que trabalhavam com o adolescente em um lava-jato da Capital.

Na ocasião, a vítima teria brincado dizendo para Willian que ele compraria um refrigerante. O homem pegou um pano e passou a correr atrás do jovem que se escondeu em um banheiro do local. Achando que a brincadeira já teria acabado, ele voltou ao seu trabalho normalmente, quando foi pego de surpresa por Willian. 

Willian pegou o adolescente no colo e o segurou enquanto Thiago introduziu uma mangueira de compressão de ar no ânus do jovem, que a todo momento teria falado para a dupla parar, mas os pedidos foram negados e só pararam quando a vítima passou a vomitar e a defecar. 

Para a polícia, enquanto o adolescente ainda estava internado sem ter como se comunicar, Willian e Thiago falaram que tudo não passou de uma brincadeira que acabou ultrapassando os limites. Quando o jovem conseguiu descrever o que aconteceu naquele dia três de fevereiro no lava-jato, destacou que os suspeitos estariam mentindo e que não houve brincadeira.

O adolescente revelou que falou várias vezes para a dupla parar, mas eles não pararam. Depois disso, ele não se lembrava de muita coisa, apenas que começou a vomitar, defecar e desmaiando logo em seguida.

Ainda conforme relatos da vítima, antes de falecer, a tortura com a mangueira demorou cerca de dez minutos. 

Internado na Santa Casa desde o dia que o crime aconteceu, o rapaz teve uma boa melhora no quadro de saúde, mesmo perdendo de 20 cm de seu intestino durante uma cirurgia. Ele chegou a conversar com os familiares, enchendo a mãe de esperanças que um dia o filho retornaria bem para a casa.

O terror dos familiares voltou na última segunda-feira (13), o jovem teve uma grave lesão no esôfago e precisou ser entubado, voltando para a área vermelha do hospital. Depois, a situação do adolescente foi piorando mais e na tarde desta terça-feira ele veio a falecer, mesmo com os médicos tentando reanimá-lo por cerca de uma hora.

Veja também