Aguas marcço2
Vivi bolsas - março
(67) 99826-0686

Em Campo Grande, falsa oportunidade de emprego obriga adolescentes a trabalho sexual

Salário prometido era de R$ 3 mil. Porém era preciso tirar a roupa para fazer um 'teste'

13 JAN 2017
Thiago de Souza
07h00min
Adolescente foi atraído em falsa oferta de emprego Foto: Arquivo pessoal

O que era para ser uma oportunidade de emprego em um lava jato na região Sul se transformou em medo e constrangimento para um adolescente de 17 anos e a mãe dele, uma técnica de enfermagem de 34 anos. Ao chegar ao local para a entrevista, o suposto proprietário ofereceu  outra vaga de trabalho, que seria em uma praia de nudismo  e de imediato pediu para o garoto tirar a roupa e fazer um ‘teste’.

A mãe do rapaz, Francismeire dos Santos é administradora de um grupo no Facebook  chamado Empregos Campo Grande MS. Ela copia os anúncios de alguns jornais e outros lugares e posta na internet a fim de ajudar as pessoas. Na quarta-feira (11), ela viu uma vaga que interessaria ao filho, recém chegado de Porto Murtinho e com experiência em lava jato na cidade de Bonito.

Assim que recebeu a oferta da mãe, o adolescente ligou imediatamente para o anunciante, que ele não se recorda o nome, e marcou a ‘entrevista’ para às 15 horas do mesmo dia.

''Cheguei lá e estava o homem junto do pai dele, um senhor mais velho sentado. Ele disse ao pai que iria fazer a entrevista comigo na casa do fundo'', relata o jovem. Ao entrar , o dono do suposto lava jato disse que aquela vaga de lavador de carros não seria interessante para o garoto, pois iria ganhar muito pouco, na faixa de R$ 600. ''Ele disse que seria melhor eu trabalhar em uma praia de nudismo que iria abrir na Capital e ganhar R$ 3 mil mais diversos benefícios'', conta.

Essa, segundo o dono, seria a primeira de três entrevistas, sendo a segunda com um gerente e a terceira, a ‘mais chata’ com o diretor do empreendimento, o mais exigente de todos.

Porém, segundo o contratante, já seria necessário tirar a roupa para que ele pudesse ver como seria o comportamento do jovem diante de pessoas peladas.

''Fiquei com medo e constrangido,  ai arrumei a desculpa que não poderia tirar a roupa ali e que teria de ir para a casa tomar um banho e me depilar, e que depois voltaria. Foi o jeito que eu arrumei para sair dali'', relembra o rapaz.

Ao sair da residência prometendo retornar às 10 horas do dia seguinte, o adolescente viu que já tinha outro rapaz em uma moto Biz esperando para a entrevista. Na saída, o suposto idealizador da praia de nudismo pediu sigilo absoluto e que não responderia nada pelo aplicativo Whatsapp.

Imediatamente o jovem contou o caso para a mãe, que ficou bastante constrangida com o que ouviu dele. ''Fiquei chocada. A sorte que meu filho não é bobo, ele já é pai com 17 anos",  explicou. ''Era uma vaga de emprego em um java jato, quem iria desconfiar disso?'', questiona a mãe, que tem certeza se tratar de aliciamento de menores para a prostituição. Francismeire decidiu que vai à polícia denunciar o caso porque pode haver mais vítimas.

Conforme o anunciante teria dito ao rapaz, 26 garotos já estariam contratados para diversas funções, entre elas a de massagista, garçom e atendente. ''Faltavam duas vagas apenas, que seria a minha e outro rapaz'', complementa o adolescente.

Na internet, o anúncio saiu da seguinte forma: ''preciso com urgência de uma pessoa para trabalha em lava jato que more na região do bairro Guanandi, que tenha entre 16 e 22 anos. Informações somente por telefone ou pessoalmente, não responde WhatsApp''. Na sequência o anunciante divulga três telefones de contato, sendo dois celulares e um fixo.

''Acho que é uma farsa, onde que teria uma praia de nudismo em Campo Grande e por quê estaria em sigilo?'', questiona o menor. O jovem não sabe dizer se o suposto pai do dono do lava jato está envolvido no caso, nem mesmo se essa história toda foi montada por um ou mais pessoas.

Francismeire não teve dúvidas sobre o ato ilícito ocorrido com o filho e decidiu fazer a denúncia na internet. No post ela disse: ''SACANAGEM NEH, fazendo propagandas de vagas falsas para enganar jovens, ou sabe lá Deus os pretendem fazer com eles!!! Cuidado mães podem ser aliciadores enganando nossos filhos e levando os para a prostituição ou drogas e crimes, pois eles são loucos pelo 1 emprego [sic]'', desabafou.

Outro lado

O proprietário do lava jato, que não quis se identificar, rebateu todas as denúncias feitas por mãe e filho e disse que procurou a Polícia Civil nessa quarta-feira mesmo para registrar um boletim de ocorrência. ''Isso é uma armação. Primeiro o garoto mentiu que tinha 19 anos e aí eu pedi os documentos e disse que o contrataria se a mãe dele viesse junto no outro dia'', esclareceu. O empresário confirma que entrevistou o garoto na tarde dessa quarta-feira, mas que isso foi na frente de uma outra funcionária dele, que é mulher, mas tem aparência de homem, o que teria confundido o adolescente. Diz ainda que não havia nenhum senhor de idade no lava jato conforme o jovem relatou, e sim ele e a funcionária. A entrevista teria durado menos de dois minutos e sempre na presença da empregada.  

O dono do lava jato disse que nunca viu nem mãe nem filho na vida, mas devido a repercussão desse caso nas redes sociais, descobriu que o garoto passou no lava jato dele há duas semanas pedindo emprego, mesmo sem ele ter colocado nenhum anúncio em lugar algum. Quem teria o atendido à época foi a irmã dele e a funcionária.

''Esse menino é doente, onde já se viu praia de nudismo em Campo Grande? E outra, se isso acontecesse com um filho meu eu iria ao local tomar satisfação. Eles vão pagar caro por isso, vou processá-los, os dois, por estarem causando prejuízo a minha empresa'', desabafou. ''Estou muito abalado emocionalmente'', completou.  

Questionado sobre o motivo dessa acusação, o empresário disse que não tem inimigos, mas sim concorrentes, mas não pode fazer acusações sem provas. ''Acho tudo isso muito estranho, a polícia vai investigar isso'', concluiu.

Veja também