informe leilão
dr. hernia
(67) 99826-0686

Violência só parou quando adolescente torturado vomitou e defecou, denuncia advogada

Vítima teria pedido para os suspeitos pararem e negou ser uma 'brincadeira'

10 FEV 2017
Anna Gomes
09h40min
Foto: Repórter Top

O adolescente que foi torturado após ter uma mangueira de compressão de ar introduzida no ânus nega as versões ditas pelos suspeitos que dizem que tudo não passava de uma 'brincadeira'. A vítima destaca que as agressões só pararam quando ele passou a vomitar e a defecar.

Conforme a advogada Katarina Viana, que defende o jovem, ele contou que foi submetido a violência por cerca de dez minutos e pedia para a dupla parar várias vezes, fato este negado.

Os suspeitos de praticarem tamanha crueldade identificados como Willian Henrique Larrea, 30 e Thiago Giovanni Demarco Sena, 20, trabalhavam com o adolescente em um lava-jato, localizado na Avenida Interlagos, na Vila Morumbi, em Campo Grande.

Ainda segundo os relatos da vítima para a advogada, tudo começou quando o adolescente brincou pedindo para um dos suspeitos comprar um refrigerante.

"O meu cliente disse brincando para o Wilian: 'bem que você poderia pagar um refrigerante', momento que o suspeito pegou um pano e passou a correr atrás da vítima, até aí o adolescente achou que ele estava brincando e tudo estava normal", disse a advogada.

Momentos depois, o jovem teria voltado ao trabalho, quando foi pego de surpresa pelo Wilian que levou até o Thiago. Mesmo com o rapaz pedindo para a dupla parar, que estava sentindo dores, os suspeitos não deram ouvidos até a vítima defecar, vomitar e desmaiar.


Ainda segundo a advogada, Wilian e Tiago teriam relatado que era 'normal' os funcionários ficarem brincando com a mangueira, disseram ainda que até a vítima já teria participado dos episódios, fato este que foi negado pelo adolescente.

Caso

O crime aconteceu na última sexta-feira (3). O delegado Paulo Sérgio Lauretto da DPCA (Delegacia de Proteção a Criança e ao Adolescente) que está investigando o caso diz que os suspeitos de relataram durante o depoimento que tudo não passava de uma 'brincadeira' e que eles não sabiam que as consequências seriam preocupantes.

O adolescente está internado na Santa desde quando sofreu a tortura, o que causou a perda de 20 cm de seu intestino. Segundo a assessoria de imprensa do hospital, ele já passou por uma cirurgia, chegou a voltar para a ala vermelha e agora está na área amarela que tem todo suporte de uma UTI (Unidade de Terapia Intensiva).

 

Veja também