Corrida Cassems
studio center
(67) 99826-0686

Audacioso, jovem que matou 'Pitchula' voltou ao local do crime para ver movimento

Ele confessou o crime à Polícia Civil, horas depois de ter sido preso pela equipe que investigava o homicídio

12 FEV 2017
Redação
12h10min
Foto: Alisson Silva
policia-interna1
semana do transito

Apontado como suspeito de dar fuga ao homem que atirou em Adilson Maciel de Oliveira, de 32 anos, mais conhecido como “Pitchula”, Thiago Aparecido da Costa, de 26 anos, confessou que é o autor dos disparos. Ele confessou o crime à Polícia Civil, horas depois de ter sido preso pela equipe que investigava o homicídio.

Pitchula foi morto na madrugada deste domingo (12), no banheiro de um bar da avenida Presidente Vargas, em Coxim. Segundo a Polícia Civil, foi um crime passional, pois, a ex-mulher da vítima convive com o autor. Momentos antes da execução eles tiveram uma discussão por conta de Maria Lucinha Muniz, a Lucinha.

Ele contou que por volta das 2 horas saiu do bar, foi até o carro e pegou a arma, um revólver de calibre 38, que foi colocado na cintura. Logo em seguida Thiago voltou para a casa noturna, passou pelos seguranças e entrou tranquilamente armado. Por outro lado, os seguranças alegam que alguém tenha passado a arma para o autor por cima do muro ou por uma janela que estava danificada. De acordo com a polícia, esse fato também será investigado.

O que chamou a atenção da Polícia Civil foi a frieza do autor. Depois de matar Pitchula, Thiago foi para casa, no Jardim dos Pequis, guardou a arma e jogou as cápsulas deflagradas, trocou de roupa e resolveu passar em frente ao bar para ver a movimentação. Ele só não contava que a polícia já estava em sua cola. Como os investigadores já tinham a informação de que o suspeito deixou o local num GM Celta Branco resolveu abordá-lo, conduzindo Thiago e Lucinha para a delegacia.

Conforme a Polícia Civil, inicialmente ele disse que tinha jogado o revólver fora, mas acabou entregando a localização. Na casa, localizada na rua Girassol, os investigadores encontraram a roupa que ele usava no momento do crime, uma camiseta cinza e uma bermuda, que foram trocadas por uma camiseta azul e uma calça jeans. Depois da troca o autor também colocou botas e um chapéu de palha grande na cabeça.

Thiago disse que disparou duas vezes, testemunhas afirmam ter ouvido até três tiros, mas, por enquanto, a perícia encontrou apenas uma perfuração, embaixo do queixo de Pichula, porém, o corpo está passando por exame, que vai mostrar com precisão quantos tiros a vítima levou.

Imagens mostram que depois de ser alvejado, a vítima caiu no banheiro, próximo aos mictórios. O sangue num dos mictórios pode ser indício de que os tiros foram disparados no momento em que Pitchula terminava de fazer sua necessidade fisiológica, caindo de costas, sem ter tempo de fechar o zíper da calça.

O Corpo de Bombeiros chegou a ser acionado, mas quando chegou ao local a vítima já estava sem vida. O corpo de Pitchula deve ser liberado no final da manhã para velório e, posteriormente, enterro.

Veja também