Chapadão do Sul
tjms
(67) 99826-0686

Autor de homicídio em kitnet alega legítima defesa, mas polícia desconfia de versão

Homem disse que não conhecia a vítima, mas testemunhas dizem o contrário

10 AGO 2017
Thiago de Souza e Kerolyn Araújo
17h12min
Preso, Maidana alegou legítima defesa à polícia Foto: Wesley Ortiz
policia-interna1
Victor Hugo - 28 anos

Fernando Maidana,52, suspeito de assassinar Leandro da Silva Martins, a facadas, na tarde desta quinta-feira (10), no bairro Zé Pereira, alegou legítima defesa. Ele disse não conhecer a vítima, mas testemunhas afirmaram que já os viram juntos e a polícia investiga o caso.

O caso está nas mãos da delegada Cristiane Grossi, da 7ª Delegacia de Polícia. Durante a apresentação, o autor disse que estava dormindo, acordou e viu a vítima em cima dele com uma faca em mãos. Eles teriam lutado e Fernando atingiu o homem com a faca.  Porém, a polícia desconfia desse depoimento, pois Maidana não está com nenhum ferimento no corpo.

(Delegada duvida de versão de legítima defesa de suspeito)

Maidana disse à polícia que acredita que Leandro estaria tentando furtar sua residência, por isso reagiu com violência.   

Momentos antes do crime, Leandro teria sido visto por populares ao lado de outro homem, que seria um idoso. Eles entraram em uma residência, na Rua Onero Lima, que funciona como um conjunto de kitnetes e lá a vítima saiu correndo com diversos ferimentos de faca pelo corpo.

Esfaqueado no pescoço, pulsos, abdômen e testa, ele seguiu até a Rua Sagarana, onde caiu em frente a uma loja de utilidades, já bastante debilitado. Antes de falecer, em frente ao comércio, chegou a afirmar a pessoas que tentaram o socorrer que quem lhe feriu não foi o idoso que lhe acompanhava, mas outro homem.

Agora, a polícia investiga o depoimento da mulher de Leandro. Ela contou que o marido teria alugado uma casa de uma pessoa chamada Fernando, e que pagou R$ 180 por isso. No entanto, conta a mulher, o dono da casa desistiu de alugar o imóvel, mas não teria devolvido o dinheiro. Desde então, Leandro estaria cobrando essa pessoa.

Porém, segundo a delegada Grossi, ainda não é possível afirmar que o Fernando preso na tarde de hoje é o mesmo citado pela esposa da vítima.

policia-interna2
nando viana

Veja também