Nilson Pugatti
SElviria Dezembro
(67) 99826-0686
PMCG IPTU 2019

Caso Gabrielly: pais de menina morta devem ser ouvidos na segunda, diz delegada

Delegada quer saber se menina tinha alguma doença

8 DEZ 2018
Rodson Willyams
12h00min
Mãe ao lado do corpo da filha. Imagem gerou muita comoção. Foto: André de Abreu / Arquivo

Os pais de Gabrielly Ximenes de Souza, de 10 anos, devem ser ouvidos na próxima segunda-feira (10), pela delegada que investiga o caso, titular da Delegacia Especializada de Atendimento à Infância e Juventude (Deaij), Fernanda Félix.

Em entrevista ao TopMídiaNews, neste sábado (8), a delegada informou que deve questionar se a filha do casal - que morreu uma semana após ser agredida por colega de escola - tinha alguma doença pré-existente.

"Nós não chamamos os pais antes porque eles estavam no velório e cuidando da filha. Mas na próxima segunda-feira (10), no primeiro horário, eles serão ouvidos", disse.

Além disso, Fernanda Félix afirma que também está aguardando os laudos necroscópicos. "Vamos ver as respostas que os laudos podem nos mostrar", finaliza.

Investigações

A Polícia Civil suspeita que a agressão das colegas de escola seria insuficiente para matar a menina e que ela teria alguma doença que agravou o quadro de saúde dela após a cirurgia. 

Segundo a delegada, Fernanda Félix, a causa da morte apontada no atestado de óbito seria tromboembolismo pulmonar. A menina foi submetida à cirurgia na Santa Casa.

"Nós tivemos acesso a parte do prontuário. Ela teve sete paradas cardiorrespiratória. O médico legista nos informou que ela teve uma artrite séptica e infecção generalizada e por isso foi submetida a cirurgia. O estado dela era grave".

O laudo pericial que deve apontar se Gabrielly tinha algum tipo de doença pré-existente. O documento deve ficar pronto no prazo de 10 dias.

Veja também