informe leilão
(67) 99826-0686

Com 3,4 milhões na poupança, Puccinelli não pode sacar para pagar fiança de R$ 1 milhão

Advogado do ex-governador requeriu que fiança seja reconsiderada pela justiça

12 MAI 2017
Airton Raes
11h20min
Foto: Wesley Ortiz

O ex-governador André Puccinelli (PMDB) declarou, em 2010, possuir R$ 3,4 milhões em uma caderneta de poupança. Com o bloqueio de bens no valor de R$ 100 milhões, Puccinelli teria condições de pagar a fiança de R$ 1 milhão, mas não tem como sacar o dinheiro da poupança devido à medida judicial.

O advogado de André Puccinelli, Renê Siufi, apresentou requerimento a Justiça Federal solicitando a reconsideração do despacho que determinou a fiança de R$ 1 milhão. “Puccinelli não tem condições de pagar. Todos os bens deles estão presos. Ele tem recursos, mas não pode movimentar”, disse.

Renê Siufi afirmou que não tem condições de pagar a fiança de seu cliente para depois ser ressarcido ou que o seja arrecadado por outras fontes. Também descartou que pagamento possa ser parcelado. “Esse valor é muito alto. Esperamos que a juíza reconsidere o despacho”, reafirmou.  

Segundo Siufi, não foi solicitado o desbloqueio dos bens, mas somente a revisão da fiança. Também não foi feito nenhum pedido sobre a suspensão do uso da tornozeleira eletrônica. “Estamos trabalhando somente em cima da fiança. Por enquanto não mexemos com a tornozeleira”, completou.

Em 2010, André Puccinelli declarou a justiça eleitoral o total de R$ 5,4 milhões em bens, sendo R$ 3,4 milhões em dinheiro depositado em uma caderneta de poupança. Também disse possuir R$ 100 mil em uma conta corrente no banco Santander e R$ 805 mil em uma aplicação em renda fixa no Banco do Brasil. 

Veja também