(67) 99826-0686
PMCG Janeiro

De passagem em MS, Lula entoa discurso eleitoreiro para Dilma

Lula

13 NOV 2013
Marithê Lopes/ Juliene Katayama
15h00min
Foto: Geovanni Gomes

Na manhã desta quarta-feira, 13 de novembro, no auditório da Federação da Indústria de Mato Grosso do Sul (Fiems), o ex-presidente da República do Brasil, Luís Inácio Lula da Silva entoou o discurso eleitoreiro reforçando todas benfeitorias feitas pelo governo do PT durante os anos que esteve no poder.

 

"Se eu tivesse ouvido os meus assessores não teria sido presidente porque quando entrei em 2002 o Brasil estava numa dificuldade econômica muito grande", comenta Lula.

 

Durante o discurso Lula quebrou diversos tabus. "Conforme o crescimento da economia eu dividi o bolo, aumentei o salário mínimo em dez anos com aumento real e sem inflação para o país, ao contrário do que a crítica dizia, consegui exportar e cuidar do mercado interno", se defende.

 

"Se eu, o Puccinelli e o Delcídio formos a um bar, a gorjeta que daríamos ao garçom seria o valor de uma Bolsa Família. Só vou estar contente com o bolsa família quando ninguém precisar desse auxílio", comenta Lula que segundo ele, hoje o programa Bolsa Família representa 0,47% do PIB brasileiro.

 

O ex-presidente comentou sobre o programa Luz para Todos onde foram investidos 3 milhões de reais no país inteiro e o Estado de Mato Grosso do Sul recebeu 40 mil. "Não pensa que eu só penso no pobre porque quem ganhou com esse programa foram os fabricantes. Com o Luz para Todos o país vendeu mais geladeira e televisão do que no Uruguai", finaliza Lula. 

Veja também