Corrida Cassems
studio center
(67) 99826-0686

Em menos de uma semana, dois presos são encontrados mortos no pavilhão 2 da máxima

Os dois detentos foram encontrados mortos de forma 'misteriosa' e sem sinais de agressão

17 JUL 2017
Anna Gomes
10h40min
Foto: Geovanni Gomes/Arquivo
policia-interna1
semana do transito

Em menos de uma semana, dois detentos são encontrados 'misteriosamente' mortos em celas do Presídio de Segurança Máxima de Campo Grande. Orestes dos Santos Bezerra, de 32 anos, morreu na noite deste domingo (16), depois de supostamente cair da cama.

Segundo o registro policial, por volta das 20h30 os detentos começaram a fazer barulho nas celas para chamar a atenção dos agentes. O servidores foram até a cela oito do pavilhão dois, onde encontraram Orestes desmaiado.

Bezerra foi carregado até o saguão do presídio e o SAMU (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) foi acionado. Quando os agentes interrogaram o que havia acontecido, os detentos informaram que Orestes foi tentar subir na cama onde dorme e acabou caindo, batendo com a cabeça no chão.

Quando o SAMU chegou ao local, a vítima estava em um carrinho, na portaria do presídio. Os médicos tentariam reanimar a vítima, mas sem sucesso. Bezerra acabou morrendo.

Ainda de acordo com o boletim de ocorrência, a princípio, a vítima não apresentava sinais de agressão. Orestes estava com 19 presos na mesma cela. Os agentes relataram que, ao término da visita de ontem, por volta das 16h, quatro presos solicitaram ir para um 'ambiente seguro', pois estavam com medo de morrer, mas Bezerra não teria solicitado tal medida.

Também no pavilhão 2, no último dia 12 de julho, Jonathan Azedo também foi encontrado morto, mas sem sinais de agressão em uma cela do presídio. Ele respondia por tráfico de drogas na cidade de Mundo Novo e estava na penitenciária de segurança máxima da Capital há cerca de duas semanas.

A equipe de reportagem entrou em contato com a assessoria de imprensa da Agepen (Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário), que não soube informar maiores detalhes sobre as mortes e destacou que os fatos serão investigados.

Veja também