(67) 99826-0686
Balanço PMCG fev

Filmado em espancamento, jovem responderá em liberdade por tentativa de homicídio

Ainda que tenha sido indiciado, pena de agressor poderá ser mais branda e depende do entendimento da Justiça

7 OUT 2016
Amanda Amaral
17h11min
Foto: André de Abreu

Em mais um dia de depoimento à Polícia Civil de Campo Grande, foram colhidos elementos suficientes que permitiram o indiciamento do jovem Jhonny Holsback, 18 anos, pelo crime de tentativa de homicídio, por espancar outro jovem que não teve como se defender. Para o delegado Fabiano Nagata, da 1ª DP, não há dúvidas da intenção do agressor nas cenas da briga gravadas em celular, nas quais ele que aparece dando chutes e socos em outro jovem até que o mesmo desmaiasse, na saída de uma festa na Vila Jacy.

Apesar disso, o Jhonny responde em liberdade e pode até mesmo ser ‘beneficiado’ por outro entendimento da Justiça, que deve analisar o caso a partir da próxima semana. “O promotor que for julgar vai provavelmente levar em conta que ele é réu primário e que o laudo do rapaz agredido apresentou apenas lesões leves. Pode ser que o indiciamento ‘caia’ para lesão corporal, com penas muito mais brandas”, disse Nagata.

Se a Justiça entender que o jovem é culpado em tentativa de homicídio, a pena pode chegar a quase sete anos, já que conta de um a dois terços da pena por homicídio, que chega a vinte anos de reclusão. Já a pena para lesão corporal para réu primário pode ser substituída pelo pagamento de cestas básicas, atividade social ou doação de sangue.

Segundo o advogado do indiciado, Rony Ferreira de Matos, o cliente se dispôs a pagar todos os custos médicos e materiais da vítima, e está sofrendo ‘desproporcionalmente’ com a repercussão do caso. “É um caso difícil de trabalhar, mas o Jhonny está arrependido. Vamos tomar medidas para tirar todas as ameaças e postagens maldosas na internet, que teve repercussão nacional”, disse o advogado.

Mais cedo, a mãe do agressor, a comerciante Gislaine Holsback, 46 anos, disse ao TopMídiaNews que toda a família está muito abalada com a repercussão do caso e cogitam mudar de Campo Grande por causa das ameaças. Após a exposição do caso, o jovem parou de trabalhar na mercearia da família, onde ajudava desde os 16 ano e trancou a matrícula da faculdade, onde cursava o 3° ano de administração.

Até então, somente Jhonny foi indiciado pelo crime, mas o outro rapaz que aparece também realizando as agressões deve ser ouvido na próxima semana. 

 

Veja também