Corrida Cassems
studio center
(67) 99826-0686

Justiça determina sigilo em pedido de liberdade de assassino de Mayara para sacar FGTS

Luis Alberto Bastos Barbosa é réu confesso pelo assassinato da musicista Mayara Amaral

11 SET 2017
Airton Raes
13h04min
Foto: Jefferson Coppola/VEJA

Por pedido dos advogados de defesa de Luis Alberto Bastos Barbosa, réu confesso pelo assassinato da musicista Mayara Amaral, foi decretado segredo de justiça na solicitação para que ele possa ser conduzido até uma agência bancária para sacar o dinheiro referente ao FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço).

Em 29 de agosto, foi protocolada ação para que Luis seja libertado por um dia e conduzido sob escolta até a agência da Caixa Econômica Federal para que possa fazer o saque do dinheiro referente ao FGTS, que só pode ser feito pessoalmente. A Polícia Civil prendeu Luis no final de julho, apontado como autor do assassinato de Mayara Amaral.  Luis trabalhava em uma empresa de informática e foi demitido, após sua prisão.

“Requer-se à Vossa Excelência que digne-se determinar a locomoção do ora requerente Luís Alberto Bastos Barbosa mediante Escolta das Forças Policiais até a Caixa Econômica Federal, em horário bancário para com a finalidade precípua do mesmo sacar os valores pecuniários referentes ao FGTS e / ou demais valores lá eventualmente depositados”, consta no pedido.

Luis Alberto Bastos Barbosa, 29 anos, assumiu ter matado a marteladas Mayara Amaral, 27 anos, encontrada morta no dia 25 de julho na região do Inferninho, na saída para Rochedo. De acordo com a delegada Gabriela Stainle, da Defurv (Delegacia Especializada em Roubos e Furtos de Veículos), foi concluído que Luis Alberto matou a vítima para roubar.

Veja também