TJMS
re9
(67) 99826-0686

Músico é chamado de macaco no centro da Capital e caso vai parar na delegacia

O fato aconteceu por volta das 12h de ontem, na Quatorze de Julho

1 DEZ 2016
Anna Gomes
07h27min
Foto: Geovanni Gomes/Arquivo

Um músico de 29 anos diz ter sido vítima de preconceito em plena luz do dia, no centro de Campo Grande, próximo a centenas de pessoas. O suposto agressor teria chamado a vítima de 'otário, palhaço, macaco, macaco idiota'. O fato aconteceu por volta das 12h desta quarta-feira (30), na Rua Quatorze de Julho, na Capital.

De acordo com o registro policial, o jovem estava tocando violão em frente a uma loja, quando um homem chegou ao local e começou a fazer propaganda em uma caixa de som. Em determinado momento, o suposto agressor disse que a vítima não poderia ficar naquele local.

O músico foi até a loja e conversou com uma das supervisoras sobre o ocorrido, a mulher informou que a autorização para que ele pudesse apresentar as músicas em frente ao estabelecimento ainda era válida e que ele poderia continuar com seu trabalho.

Após a conversa com a supervisora, para evitar confusão, o músico preferiu acabar com sua apresentação. Porém, quando a vítima estava indo embora do local, o homem da caixa de som percebeu e começou a dizer: ''é bom mesmo você ir embora, aqui não é seu lugar, otário, palhaço, seu macaco, macaco idiota".

O músico se sentiu ofendido com as ofensas verbais e acredita que a mesmas, estavam fazendo referência a sua cor de pele negra. A vítima relata ainda que o suposto autor, quando percebeu que o rapaz iria chamar a polícia, desapareceu do local.

A vítima ainda destaca que pessoas que  trabalham perto da loja presenciaram os fatos. O caso foi registrado na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) do Centro. 

Veja também