FAPEC
pmcg tjms
(67) 99826-0686
word wine - almoco japones 2

Perseguição a trio de estelionatários tem tiros contra carro e paralisa Centro da Capital

Na fuga, suspeitos entraram em via contramão e colidiram contra outros veículos, mas acabaram detidos

5 DEZ 2017
Amanda Amaral
15h09min
Foto: Wesley Ortiz

Duas mulheres e um homem, suspeitos de cometerem golpes de estelionato no Centro de Campo Grande, foram presos após serem perseguidos pela polícia na tarde desta terça-feira (5). A polícia chegou até os envolvidos através de uma denúncia anônima e, como estavam próximos ao local, os acompanhou e abordou rapidamente.

Logo que perceberam a presença dos policiais, os três tentaram fugir em um Chevrolet Cruze na cor verde, placas de Campo Grande (FED-1537). Antes de parar, o veículo seguia em alta velocidade pela Avenida Afonso Pena, quando teria tido o pneu traseiro atingido por tiro disparado pelos policiais, virou na contramão na Rua 13 de Maio e bateu contra ao menos três veículos.

Conforme informações preliminares do delegado Enilson Zalla, da Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) Centro, não se sabe que tipo de golpe estava sendo aplicado, se o trio, entre eles uma idosa, estava armado ou já tem antecedentes criminais. Eles foram levados em uma viatura da Polícia Militar para a delegacia, onde permanecerão detidos preventivamente.

Condutor de um dos veículos atingidos pelos suspeitos, de 36 anos e que preferiu não ter a identidade revelada, relata que passou por momentos de tensão. “Ouvi dois tiros, foi tudo rápido, logo já senti a batida do carro bem na frente do meu. O homem que estava dirigindo ainda tentou fugir e pegaram ele só no final da rua. Foi um sufoco, a gente nunca acha que vai passar por algo assim”, diz.

O homem conta que um idoso que estava em outro carro, também atingido, chegou a passar mal e precisou de socorro. Lamenta ainda que seu veículo, um Palio da cor prata, não tem seguro para cobrir os gastos do estrago causado com a batida.

Caos

O trânsito no cruzamento ficou parcialmente paralisado e causou congestionamento naquela que é uma das regiões comerciais mais movimentadas da Capital. Ônibus circulares tiveram inclusive de mudar o trajeto habitual e a Agetran (Agência Municipal de Trânsito) fazia a reordenação do tráfego.

Até os envolvidos serem levados do local, houve grande concentração de pessoas, que acompanharam a operação com gritos, fotografando e filmando o episódio.

 

Veja também