(67) 99826-0686
Camara municipal

Tatuador é executado a tiros em meio à onda de violência na fronteira

Vítima ainda tentou correr, mas foi em vão

6 DEZ 2018
Da redação / Porã News
13h18min
Foto: Reprodução / Porã News

A fronteira do Brasil com o Paraguai voltou a viver dias de violência. Nas últimas 24 horas um atentado contra o sobrinho de um traficante internacional preso em um Presídio Federal e a morte de duas pessoas em crimes de pistolagem movimentaram o setor policial de Ponta Porã e Pedro Juan Caballero.

No final da tarde de terça-feira o comerciante paraguaio Pedro Chimenes, sobrinho de Jarvis Chimenes Pavão, foi vítima de um atentado no bairro Guarani, em Pedro Juan Caballero, cidade que faz divisa com Ponta Porã.

Pedro estava na Ford Raptor, preta, blindada, que foi atacada por pistoleiros que estavam em uma Toyota Fortune. A caminhonete de Pedro foi atingida por diversos disparos de fuzil e metralhadora, mas ele e os outros dois ocupantes do veículo não foram atingidos.

Uma criança que jogava bola na rua e uma senhora que também estava próxima do local onde ocorreu o ataque foram atingidas e encaminhadas para o hospital. Já por volta do meio dia de hoje o empresário Vanderlei Almeida de 46 anos, foi morto com diversos tiros em frente à casa dele no Jardim Universitário em Ponta Porã.

Ela abastecia a caminhonete quando pistoleiros chegaram em uma caminhonete e dispararam dezenas de tiros contra ele. Levado por familiares para o Hospital Regional ele morreu quando era atendido pelos médicos. A vítima tinha uma empresa de ônibus e de aluguel de maquinas pesadas e caminhões. Não há pistas dos assassinos.

Já no final da tarde desta quarta-feira, o tatuador Nicanor Garay Ovelar de 40 anos, o Nico estava sentado em frente ao estúdio de tatuagem dele no cruzamento das ruas Marechal Floriano com Baltazar Saldanha quando dois homens chegaram em uma moto e um deles fez vários disparos contra ele. Nico ainda tentou correr, mas foi atingido várias vezes e morreu na hora.

Veja também