FAPEC
Assembleia a  04 a 18/12
(67) 99826-0686
word wine - almoco japones 2

Vítimas de coreógrafo acusado de estupro sentem alívio com pedido de prisão

Elas criticaram demora da Justiça em agir, advogado foi avisado sobre preventiva

7 OUT 2017
Liziane Berrocal
11h30min
Foto: Reprodução

O coreógrafo Ewerton Cesar Ferriol Icasati, o Tom Brasil, que teve prisão preventiva decretada após pedido da delegada Marília de Brito, já é considerado foragido. Ainda assim, a decretação da prisão trouxe alívio para as vítimas, que esperam que seja feita a Justiça.

“Quando minha filha me contou sobre o que tinha aconteço com ela eu cheguei a me arrepender de ter ido fazer o boletim de ocorrência, porque ela foi exposta e ela chorava muito. Toda família ficou sabendo”, conta a mãe de uma das vítimas.

A menina tinha 15 anos na época que aconteceu o crime e desabafou com uma amiga sobre ocorrido. “Quando a mãe da amiga dela me contou, eu fiquei muito mal. Ela chorava e dizia por favor para eu acreditar nela. Ele destruiu nossa família, espero que a justiça seja feita”, desabafa sobre o pedido de prisão

A adolescente, hoje com 17 anos, está evitando tocar no assunto. “Nem falamos sobre isso. Me culparam muito pelo que aconteceu, sofremos demais .Quero que ele pague cada sofrimento que ele causou nessas meninas e nas famílias delas”, diz.

A Culpa

A mãe conhece a filha, diz ela. “Mesmo com o passar do tempo, tive que ter coragem. Tudo mudou na vida da minha filha. O brilho, nossa convivência, ela acabou indo morar com o pai, muita dor e muita culpa. Porque ficamos sempre nos perguntando se não poderia proteger mais nossos filhos. E na família mesmo, chegaram a me culpar pelo ocorrido, um crime desses destruiu uma família inteira”.

Agora, o que ela espera, é que as pessoas continuem denunciando e a justiça consiga prendê-lo. “Como o caso ganhou repercussão, finalmente algo começou a acontecer e até quem me criticou na época, agora vem dizer que ainda bem que fiz a denúncia. Mas eu digo, nada vai apagar todo o mal que ele causou”.

Violência extrema

Outra vítima de Tom Brasil, a professora que teve o braço quebrado após ser agredida durante uma festa também se diz aliviada. “Graças a repercussão do caso começaram a agir. Espero que ele seja preso mesmo. E outras pessoas que foram cúmplices também”, afirma a professora.

Ela levou um chute de Ewerton após discutir com ele durante uma festa de dia dos professores. “Eu como educadora, sabendo o que ele fazia com minhas alunas, não me conformava que ele estivesse ali”.

Prisão preventiva

O advogado do coreógrafo Rafael Nunes Cunha confirmou que Tom sabia da prisão e que ele estaria fora da cidade. “O Ewerton está fora da cidade e está voltando no final da semana. Tomamos cópia de todos os inquéritos e vamos ver o que será feito. A delegada já tinha informado que iria solicitar o pedido de prisão, porém fiquei sabendo por meio da imprensa que o pedido foi aceito”, afirmou, quando questionado sobre a situação. 

Tom Brasil foi acusado primeiro pela bailarina Cissa Nogueira por meio de uma postagem nas redes sociais. A partir daí vieram a tona outros casos, incluindo um estupro de uma adolescente que seria bolsista em sua academia, outra jovem que teria sido incentivada a abortar após engravidar dele e agressão contra uma professora que resultou em um braço quebrado.

Ele chegou a registrar uma queixa contra a bailarina Cissa Nogueira por calúnia e difamação. 

Veja também