(67) 99826-0686
PMCG Janeiro

Aliados tentam barrar médico que denuncia calamidade na Saúde

Defesa

14 NOV 2013
Juliene Katayama
13h55min
Foto: Juliene Katayama

O médico Dr. Cury do Samu (PTdoB) ocupou mais uma vez a tribuna da Câmara Municipal de Campo Grande, na manhã desta quinta-feira (14), para denunciar situações de calamidade na rede de Saúde. Diante do clima pesado, os aliados do prefeito de Campo Grande Alcides Bernal (PP) tentaram barrar que o médico continuasse as expor os problemas por ele detectados.

 

Cury atua na rede pública de Saúde desde a gestão do prefeito da Capital, Juvêncio da Fonseca (PMDB), na década de 90. Segundo o médico, ele também mostrava os problemas nas gestões anteriores e era ouvido pelos responsáveis. Mas desde o início do mandato de Bernal, ele está sendo perseguido.

 

"Fiz debates antes, não são denúncias vãs. A diferença é que não éramos ofendidos. Nem sempre era resolvido, mas equacionado", afirmou o médico.

 

Assim que completou o tempo regulamentar de dez minutos, o vereador Ayrton Araújo (PT) reclamou ao presidente interino, vereador Elizeu Dionizio (SDD), sobre o encerramento da fala do médico. Elizeu convocou as lideranças para chegar ao consenso.

 

Enquanto as lideranças discutiam, a vereadora Luiza Ribeiro (PPS) pediu pela ordem para questionar o tempo concedido ao médico. "Não vamos fazer disputa desnecessária. Ele já teve os 10 minutos dele. Está interrompendo o trabalho parlamentar", pontuou.

 

Apesar do apelo dos aliados, a Mesa Diretora decidiu estender o tempo a Cury. "As lideranças concordaram em ampliar o tempo", disse Elizeu.

 

Chiquinho Telles (PSD) ainda criticou a atitude de Luiza. "A Luiza vem aqui porque ela não usa o posto de saúde", pontuou.

 

Cury também disse tem sofrido ameaça, bullyng e assédio em decorrência de suas atitudes. Ele aproveitou a ocasião para denunciar a irmã do secretário da Semadur, Débora Marcon. "Débora Marcon não é concursada, mas responde por toda rede municipal de saúde. São 100 unidades", denunciou.

 

Solução - Para se defender, o líder do prefeito, vereador Alex do PT, sugeriu estender a denúncia à gestão anterior.  A postura do petista foi duramente criticada por Delei Pinheiro (PSD). "Ao invés do líder levar o problema para o prefeito, fala que vai mostrar a realidade da gestão anterior para demonstrar que tem preocupação. Mas o que isso resolveria?", questionou.

 

Dionizio foi mais enfático nas críticas à situação constrangedora que Dr. Cury apresentou. "Deveria pedir o afastamento do cidadão incompetente que está nessa pasta. Isso é assédio moral", afirmou o vereador se referindo ao secretário de Saúde, Ivandro Fonseca.

 

"Se não foi feita denúncia antes foi por incompetência da oposição da gestão passada", completou Elizeu.

 

Ao final, Cury apresentou um vídeo com as situações constatadas por ele nos postos de saúde como falta de material de trabalho, colchões, lençóis, além da falta de médico e o mau atendimento a população. 

Veja também