FAPEC
Assembleia a  04 a 18/12
(67) 99826-0686
Word Wine - almoco japones

Assembleia na próxima semana pode definir aquartelamento de PM em MS

A ACS concedeu prazo até o dia 18 de agosto para que Azambuja ofereça contraproposta

9 AGO 2017
Dany Nascimento
10h44min
Foto: Divulgação

A ACS (Associação de Cabos e Soldados da Polícia Militar e Bombeiro Militar de Mato Grosso do Sul) pretende dar prazo até o dia 18 de agosto, para que o governador Reinaldo Azambuja (PSDB), apresente uma contraproposta de reajuste salarial. A data foi definida após reunião entre os diretores da Capital e do interior, realizada ontem (8).

No dia 18 de agosto, a categoria confirma a realização de uma assembleia geral, onde até mesmo um aquartelamento poderá ser desencadeado. “A categoria está insatisfeita não só com a proposta dada à Polícia Militar e ao Corpo de Bombeiros, mas também com o tratamento desigual dado a outras categorias, o que nunca aconteceu. Uma medida mais radical pode ser definida na assembleia, mas quem decide é a tropa. A participação de todos os policiais, de soldado a coronel, é de suma importância”, disse o presidente da entidade, Edmar Soares da Silva.

De início, o governo negou a possibilidade de reajuste, mas acabou oferecendo reajuste linear de 2,94% para todo o funcionalismo público, inclusive policiais militares e bombeiros, a partir de outubro. A proposta deixou os representantes dos militares indignados , já que, no ano passado, o Executivo teria se comprometido a implantar a política de verticalização salarial da categoria.

Pela proposta elaborada pela ACS, o soldado em início de carreira passaria a receber, até 2018, 20% do que ganha um coronel do mesmo nível.

 

 

 

Veja também