conadhe
tjms
(67) 99826-0686

Azambuja afirma que entrevista de Joesley foi 'repetitiva' e não trouxe fatos novos

Governador espera que irmãos Batista sejam punidos por terem desviado recursos do BNDES

19 JUN 2017
Airton Raes e Rodson Willyams
13h00min
politica-interna1
Victor Hugo - 28 anos

O governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja (PSDB), afirmou que a entrevista do sócio da JBS, Joesley Batista, à Revista Época, trouxe denúncias repetitivas e não apresentou nenhum fato novo. Azambuja também defendeu a punição dos irmãos Batista por terem utilizado dinheiro do BNDES para fins ilícitos.

“Eles são usurpadores que ficaram milionários no governo anterior, se apropriando de recursos subsidiados, BNDES e Caixa Econômica, e para se livrar da pena jogaram o nome de inúmeras pessoas”, completou.

Em relação às denúncias na delação da JBS quanto ao pagamento de propina em troca de incentivos fiscais, reduzindo a alíquota do ICMS, Azambuja afirmou que o Estado cumpre 1.199 termos de acordo e que o governo irá cumprir as obrigações referentes a sua gestão. “Vou responder as denúncias referentes à minha pessoa e à atual gestão. A minha defesa continua tramitando no Supremo Tribunal de Justiça”, disse.

A edição da Revista Época dessa semana trouxe entrevista com o empresário Joesley Batista, onde foi revelado que o suposto esquema de distribuição de propina teve início em Mato Grosso do Sul, durante gestão de Zeca do PT, e continuou durante a gestão de André Puccinelli e Reinaldo Azambuja. 

politica-interna2
nando viana

Veja também