TJMS
re9
(67) 99826-0686

Bernal será investigado por manobra fiscal para cobrir rombo no orçamento

Denúncia foi realizada pela Câmara Municipal de Campo Grande

24 NOV 2016
Diana Christie
16h58min
Foto: André de Abreu

O prefeito Alcides Bernal (PP) vai ser investigado por suposta manobra ilegal para cobrir o déficit orçamentário de 2015, republicando em janeiro de 2016 a abertura de crédito suplementar sem previsão na lei orçamentária. As informações foram publicadas no diário oficial do Ministério Público Estadual nesta quinta-feira (24).

A denúncia foi elaborada pela Câmara Municipal de Campo Grande, responsável por fiscalizar as ações do Poder Executivo. Hoje, o limite máximo de suplementação a ser realizada pela prefeitura, sem autorização dos vereadores, é de 5%. Se ficar comprovada a manobra, significa que Bernal esperou a mudança de ano para remanejar o dinheiro sem passar pelo crivo do Legislativo.

O baixo limite é, inclusive, questionado pelo prefeito eleito Marquinhos Trad (PSD). Ele deseja ampliar o teto da suplementação para 30%, como era durante a gestão do irmão, Nelsinho Trad (PTB) e todos os outros chefes do Executivo que o antecederam. O assunto causa polêmica já que vereadores pretendem manter o índice para facilitar o controle de recursos do município.

O inquérito civil será conduzido pelo promotor Henrique Franco Cândia, da 31ª Promotoria de Justiça do Patrimônio Público e Social da Comarca de Campo Grande. Detalhes sobre a denúncia, no entanto, foram colocados em sigilo pelo investigador. Procurada pela reportagem, a assessoria do município não se manifestou até o fechamento desta matéria.

Veja também