(67) 99826-0686
PMCG Janeiro

Bolsonaro pode ajudar SBT e RecordTV a avançar sobre a Globo

Jornalismo dos canais de Silvio Santos e bispo Edir Macedo devem ganhar relevância com acesso privilegiado aos bastidores da Presidência

9 JAN 2019
Terra
08h28min
Foto: Blog Sala de TV

Desde 1º de janeiro, a Globo não tem mais prioridade no Palácio do Planalto por conta da relação tensa entre Jair Bolsonaro e as TVs da família Marinho.

Tudo indica que a emissora líder em audiência no País terá dificuldade em conseguir informações e entrevistas exclusivas com a cúpula do governo.

O presidente e sua equipe escolheram o SBT para a primeira entrevista após a posse. A exibição aconteceu no SBT Brasil de quinta-feira, dia 3.

O telejornal dedicou 41 minutos a Jair Bolsonaro. A conversa foi conduzida pelo âncora Carlos Nascimento, com a participação dos repórteres Thiago Nolasco e Débora Bergamasco.

A expectativa era que, neste início de mandato, a RecordTV tivesse prioridade para entrevistar Bolsonaro em retribuição ao apoio manifestado pelo dono da emissora e líder da Igreja Universal, bispo Edir Macedo, e pela convergência entre o presidente e o canal nas pautas evangélicas.

Tudo indica que a aproximação de Bolsonaro com Silvio Santos, ampliada num almoço em dezembro, na mansão do apresentador-empresário, colocou o SBT em lugar de destaque na comunicação do Planalto.

A animosidade do novo presidente com a Globo pode impulsionar o jornalismo da RecordTV e do SBT.

Ter fontes quentes nos gabinetes e a boa vontade de quem está no poder são condições imprescindíveis aos jornalistas para superar a concorrência.

Há quem diga que a Globo e a GloboNews já se movimentam para conquistar a simpatia de políticos do primeiro escalão a fim de evitar um ‘boicote’.

Somente o tempo dirá como a linha-dura de Bolsonaro vai dificultar ou beneficiar o telejornalismo e o desempenho individual das grandes redes de TV na cobertura das notícias de Brasília.

 

Veja também