(67) 99826-0686
Balanço PMCG fev

Propaganda eleitoral é recheada de críticas à administração e troca de alfinetadas entre candidatos

Candidatos se dividem entre mostrar problemas e soluções com pedidos de votos

9 SET 2016
Dany Nascimento
11h00min
Foto: André de Abreu

Os dez minutos de horário eleitoral destinado à campanha dos candidatos à prefeitura de Campo Grande desta quinta-feira (8) foi marcado por críticas a atual gestão, devido ao caos na saúde pública e péssimas condições da malha asfáltica da Capital.

A propaganda eleitoral começou com o candidato Marquinhos Trad (PSD), que utilizou parte do tempo permitido para conversar com a população, que destacou falta de remédio nos postos de saúde, lixos acumulados em bairros e baixa qualidade do uniforme escolar entregue.

Após transmitir as reclamações da população, o candidato afirmou que não faz crítica por crítica. "Essa é a Campo Grande real, não fazemos crítica pela crítica, não temos nada contra ninguém, você não viu e nem vai ver ofensas em nossos programas. Eu e a Adriane estamos nos comprometendo com  uma cidade inteira, é apoiar hoje e participar amanhã. Campo Grande só se torna cidade ideal se cada um fizer sua parte, dá para melhorar asfalto, dá para voltar a ser primeiro em educação, eu estudei, vi com meus olhos a capacidade dos servidores municipais".

Após a fala do candidato, o tempo restante ficou em tela preta com a seguinte frase: “Perda de tempo devido a não veiculação do resultado de infração da lei eleitoral”.

Em seguida, teve início a propaganda eleitoral do candidato Coronel Davi (PSC), criticando Rose Modesto (PSDB). Ele demonstra que a lei do piso salarial ainda não foi cumprida e destacou que "vai fazer".

A candidata tucana Rose Modesto (PSDB) utilizou o tempo de propaganda para mostrar ruas sem asfalto, prédios abandonados e destacou que as pessoas 'estão sentindo na pele' os erros da gestão atual. Além disso, a candidata  mostrou o abandono do Ceinf (Centro de Educação Infantil) da Vila Nasser e ressaltou que 27 creches estão abandonadas na Capital.

"A educação mudou a minha vida e vai mudar a vida de muita gente ainda, essa é a prioridade de qualquer governo sério, não dá para aceitar ter crianças fora da creche porque a prefeitura não deu conta de concluir. Na área da educação, não podemos aceitar isso. Tem que montar boa equipe, planejamento é tudo, com pouco recurso tem que saber administrar para fazer boas entregas. Assim vamos focar. Para recuperar a cidade, é preciso pensar  e planejar Campo Grande. Para ter ideia, em 2015, a Capital arrecadou R$ 2,7 bilhões, desse total R$ 92,11% foram gastos com pagamento de servidores e da máquina pública, não sobrou quase nada para investimentos. Na nossa administração,  o desafio é gastar menos com o governo e investir mais na cidade e nas pessoas, a parceria com o governador Reinaldo Azambuja vai ajudar Campo Grande a avançar", disse a candidata.

A tucana apresentou ainda o programa Rede Solidária, implantado nos bairros Dom Antônio Barbosa e Noroeste, que atende crianças carentes e destacou que pretende implementar o projeto em outras regiões da Capital.

O candidato Athayde Nery (PPS) utilizou os poucos segundos para alegar que "temos velhas práticas da política, é preciso lutar pelo novo, Campo Grande precisa ser eficiente e rápida". Já  o candidato Alex do PT iniciou a propaganda eleitoral conversando com a professora Sueli Veiga, que destacou que o piso salarial de 20 horas ainda não foi cumprido e solicitou eleição direta nas escolas.

"Esse é o nosso compromisso, cumprir a lei do piso, nosso primeiro ato como prefeito, é enviar para a Câmara um projeto para eleições diretas nas escolas. Nós iremos valorizar também os administradores, é disso que a educação precisa", disse o candidato. No final da propaganda de Alex, o deputado Pedro Kemp fez uma participação especial, alegando que Alex é o candidato com mais preparo para melhorar a Capital.

Elizeu Amarilha utilizou os poucos segundos para pedir votos. O atual Chefe do Executivo, que tenta se reeleger (PP), deu início à campanha com a fala de uma mulher, dizendo que Alcides Bernal (PP) se diferencia por dar espaço para as mulheres.  "Ele é o primeiro que teve coragem de criar a secretaria para mulheres, para mim só tem sentido estar nos espaços para contribuir e transformar, isso hoje o que o prefeito está fazendo e nos possibilita fazer, Ele  luta pelas pessoas". No final, Bernal aparece pedindo apoio. 

A candidata do PSOL, Rosana Santos que teve candidatura impugnada, continua no ar e utilizou alguns segundos para pedir apoio.  Aroldo Figueiró (PTN), Adalton Garia (PRTB) e Pedrossian Filho (PMB) utilizaram os poucos segundos para pedir votos.

O engenheiro Marcelo Bluma (Partido Verde) afirmou que o governador Reinaldo Azambuja aumentou o ICMS e aplica uma política perversa. "O governo atual se  elegeu falando de mudança, e aumentou ICMS, chega de política perversa, temos que mudar".

Por último, o candidato Lauro Davi (PROS) participou da propaganda dizendo que foi fundador e criador da Cassems e pediu votos.

* Matéria alterada às 13h18 para correção de informações

Veja também