FAPEC
Assembleia a  04 a 18/12
(67) 99826-0686
Lets - Educacao

Coimbra assume com orçamento de R$ 50 milhões para retomada da Caravana da Saúde

Reinaldo destaca que a gestão deve continuar com as mesmas diretrizes, com investimento nos hospitais regionais e foco na retomada da Caravana da Saúde

7 DEZ 2017
Diana Christie e Airton Raes
10h46min
Foto: André de Abreu

O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) confirmou, nesta quinta-feira (7), a nomeação do gerente administrativo do Humap (Hospital Universitário Maria Aparecida Pedrossian), Carlos Coimbra, na Secretaria de Saúde e anunciou a existência de orçamento de R$ 50 milhões para retomada da Caravana da Saúde em 2018.

Segundo ele, Coimbra aceitou o convite ontem à noite e apenas solicitou um prazo para terminar de resolver pendências no Hospital Universitário. Ex-diretor do hospital do câncer Alfredo Abrão, o gerente administrativo foi uma escolha técnica e deve dar continuidade ao serviço iniciado por Tavares.

"O Carlos conhece o sistema de saúde e estruturou o hospital do câncer. Não terá expansão de receita precisando criatividade na gestão. E o Coimbra encaixa nesse perfil de gestor que precisamos", ressaltou o governador.

Reinaldo destaca que a gestão vai permanecer com as mesmas diretrizes, com investimento nos hospitais regionais e foco na retomada da Caravana da Saúde, que deve priorizar o atendimento oftalmológico e auditivo dos alunos da rede pública estadual, a saúde da mulher e retomar as cirurgias eletivas.

A exoneração do médico cardiologista Nelson Barbosa Tavares foi oficializada na manhã de hoje através de decreto em diário oficial. Assume interinamente a secretária-ajunta Christinne Maymone, até que Coimbra tome posse, entre segunda e sexta-feira da semana que vem, conforme informado pelo governador.

Médico cardiologista, Tavares diz que deve retomar prática de medicina no Hospital Universitário de Campo Grande, e nega interesse em concorrer a cargo político em 2018. Reitera que, aos quase 61 anos de idade, tem única intenção de cuidar da família e projetos pessoais. 

“Eu venho negociando minha saída com o governador há meses, realmente porque preciso voltar atenção pros meus negócios. Ele teve alguma dificuldade de achar alguém com perfil pra essa pasta de extrema complexidade, mas agora vai dar tudo certo. Foi bom esse período na Saúde, mas muito longo”, declarou o ex-secretário.

Veja também