zé ramalho
studio center
(67) 99826-0686

Com placar apertado, vereadores mantêm veto de Marquinhos na Câmara

Projeto previa a prestação de assistência odontológica a pacientes em regime de internação hospitalar

8 AGO 2017
Rodson Willyams
13h35min
Foto: Arquivo TopMidiaNews

Os vereadores mantiveram o veto do  projeto de Lei nº 8.469/17,  de autoria de Lívio Viana, do PSDB, que previa a prestação de assistência odontológica a pacientes em regime de internação hospitalar no âmbito de Campo Grande. O placar foi acirrado, ficando com 13 votos pela derrubada do veto e 12 contrários.

Apesar da 'vitória' momentânea, o presidente da Câmara Municipal, João Rocha, do PSDB, informou que para que o veto fosse derrubado seriam necessários 15 votos, ou seja, faltaram dois votos para que o parlamentar tivesse o projeto aprovado em definitivo.

No entanto, antes da votação, Lívio chegou a declarar que 'não tinha interesse para que o veto fosse derrubado", uma vez que o projeto seria autorizativo. Porém pediu à Mesa Diretora que os votos fossem nominais. 

Após o resultado da votação, o parlamentar voltou a se manifestar e disse que tinha a "absoluta certeza" que, no momento oportuno, iria implantar o plano de assistência odontológica dentro da saúde do município.

Discussão paralela

Durante a votação, o vereador Valdir Gomes, do PP, pediu para que o a Comissão de Justiça da Casa de Leis, analisasse todos os projetos encaminhados 'com mais carinho'. "Estão recebendo projetos e dizendo não de forma imatura e isso está me chateando", desabafou.

Logo depois o presidente da CCJ, Otávio Trad, do PTB, rebateu a crítica dizendo que a CCJ analisa os projetos de forma "constitucional e pelo que é correto e não por carinho", mas finalizou dizendo 'tenho carinho por você Valdir". 

Veja também