RACIONAIS
CAPITAL
(67) 99826-0686

Comissão do Senado aprova indicação de Raquel Dodge para suceder Janot

Foram 27 votos a favor e nenhum contra

12 JUL 2017
G1
17h48min
Se aprovada no plenário, Raquel vai suceder Janot Foto: El País

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado aprovou, por 27 votos a 0, nesta quarta-feira (12) o nome de Raquel Dodge para o comando da Procuradoria Geral da República (PGR), órgão de cúpula do Ministério Público. Para ser confirmada no cargo, falta agora a aprovação pelo plenário do Senado.

Indicada pelo presidente Michel Temer, Dodge foi sabatinada ao longo do dia pelos integrantes da CCJ. No discurso inicial, defendeu diálogo entre as instituições e que, caso aprovada, terá como diretriz a ideia de que ninguém está acima ou abaixo da lei.

Destacou ainda que, caso assuma a chefia do Ministério Público, vai atuar com "firmeza, equilíbrio, confiança e imparcialidade". Cabe ao procurador-geral da República, entre outras atribuições, investigar e oferecer denúncias contra políticos que têm direito ao chamado foro privilegiado.

Ao responder perguntas, disse que, se necessário, vai aumentar as equipes de procuradores responsáveis por operações como a Lava Jato; que o enfrentamento da corrupção continuará uma prioridade do MP; e defendeu uso da delação premiada como instrumentos de investigação (leia abaixo as posições sobre cada tema).

Se aprovada pelo plenário do Senado, Dodge assume a PGR em setembro, após o fim do mandato do atual procurador-geral da República, Rodrigo Janot, que completará quatro anos no cargo. Dodge ficará inicialmente dois anos, podendo ser reconduzida por igual período.

 

 

 

 

Veja também