TJMS
re9
(67) 99826-0686

Multado, dono de instituto de pesquisas 'coleciona' processos na Justiça Eleitoral

Empresário foi condenado por impulsionar pesquisa eleitoral no Facebook

14 OUT 2016
Thiago de Souza
15h03min
Tony Ueno já teve pesquisa impugnada pela Justiça Eleitoral Foto: Reprodução Twitter

O empresário Tony Ueno, proprietário do AJ. Ueno Instituto de Pesquisas, foi condenado pela Justiça Eleitoral a pagar R$ 5 mil de multa por remunerar o Facebook com objetivo de impulsionar pesquisa eleitoral onde o candidato Marquinhos Trad (PSD) aparece em primeiro lugar nas intenções de voto. Segundo a decisão judicial, a medida visava que a pesquisa mais notoriedade na rede social, o que é proibido por Lei. 

O empresário é reincidente em questões relacionadas a pesquisas eleitorais. Em 6 de setembro uma de suas pesquisas foi impugnada pela Justiça Eleitoral, por indícios de fraude e irregularidades no numero de entrevistados, ausência de indicação de fonte pública dos dados utilizados e custo dos serviços prestados. 

Em outro caso de descumprimento da legislação, o Ministério Público Eleitoral instaurou Termo Circunstanciado Eleitoral para apuração da infração penal prevista no art. 33, § 4º, da Lei n. 9.504/1997 (pesquisa fraudulenta).  

A decisão é da juíza Eucelia Moreira Cassal, da 8ª Zona Eleitoral de Campo Grande, divulgada nesta semana. A denúncia foi feita pela Coligação Juntos por Campo Grande, da candidata Rose Modesto (PSDB), e pedia condenação também para o candidato do PSD, alegando que o empresário e radialista é filiado ao mesmo partido dele e 'apoiador notório' do mesmo. 

Porém a magistrada entendeu não haver provas de que houve participação do candidato Marquinhos Trad ou da coligação dele no impulsionamento da pesquisa.

Em sua defesa, Tony Ueno admitiu ter impulsionado a pesquisa no Facebook, porém alegou ter feito isso em um contexto jornalístico, pois é radialista e queria promover a rede social do programa de rádio que apresenta. Também disse que não fez nenhum comentário ou outra ação que privilegiasse o candidato do PSD.

Veja também