(67) 99826-0686

Ex-vereador nega calote e destaca: ‘conversas de corredor’

Vanderlei Cabeludo garante que não deixou nenhuma conta sem pagar e está à disposição para esclarecimentos

16 FEV 2017
Diana Christie
17h00min
Foto: André de Abreu

Citado em possível calote a fornecedores para a Câmara Municipal, o ex-vereador Vanderlei Cabeludo (PMDB) garante que não deixou nenhuma conta sem pagar e está à disposição para esclarecimentos. Segundo ele, a missão de honrar com os compromissos assumidos em uma campanha eleitoral marcada pela crise não foi fácil, mas integralmente cumprida.

“Saio dessa difícil campanha eleitoral depois de cumprir todos os compromissos assumidos e, portanto, sem dívidas ou cobradores. Em nossa campanha cumprimos rigorosamente o que determina a lei eleitoral vigente, na qual a contratação de pessoal - que foi pequena e quase insuficiente -, se deu através de contratos de prestação de serviços eleitorais e pagos com cheque de campanha, assim como também foram contratados e pagos todos os fornecedores”, afirma.

Considerado um dos ‘puxadores de voto’ do PMDB, Vanderlei perdeu 3.860 eleitores entre uma eleição e outra, ficando de fora da atual legislatura. Famoso por apresentar um programa musical na televisão, o ex-parlamentar sofreu com a perda de estrutura de seu partido, que não lançou nenhum nome pela prefeitura de Campo Grande, e o desgaste natural da legenda, que teve redução da chapa minoritária.

Apesar disso, ele destaca que realizou um bom trabalho. “Apesar do insucesso nas urnas no último pleito, posso afirmar que sai desta campanha de cabeça levantada e a certeza da missão cumprida, após concluir meus mandatos sem uma única acusação de mau uso do dinheiro público e sem uma única acusação por parte de nenhum órgão de nosso Poder Judiciário”.

Por fim, o ex-vereador ainda destaca que “se houve ‘conversas de corredor’ pelo Legislativo Municipal posso afirmar que não passam mesmo disso: conversas de corredor e, portanto, longe de ser um material jornalístico de qualidade”.

Veja também