(67) 99826-0686
PMCG IPTU 2019

Com duas ausências, candidatos ao Senado debatem propostas para educação na Fetems

Concorrentes destacam importância do evento para mostrar as propostas

19 SET 2018
Celso Bejarano e Rodson Willyams
10h47min
Foto: André de Abreu

A Fetems (Federação dos Trabalhadores na Educação de Mato Grosso do Sul), entidade fundada há quatro décadas, promove, na manhã desta quarta-feira (19), em Campo Grande, o primeiro debate envolvendo candidatos ao Senado. Dez concorrentes participam do evento.

José Orcírio dos Santos, o Zeca do PT, disse antes do início da mesa-redonda, que estava lá para esclarecer situações que vai defender como proposta caso eleito. Ele afirmou ainda que “muitos poucos candidatos acrescentaram algo até agora” e que avaliza apenas as candidaturas de Anísio Guató, indígena, do PSOL, e Mário Fonseca, que disputa uma das duas vagas ao Senado pelo PC do B.

Anísio Guató, primeiro indígena a disputar vaga no Senado por MS, disse que a “população está desesperançosa em relação aos políticos”, devido ao grande número de indecisos que nota em pesquisas eleitorais divulgadas até agora. “Não sofremos nenhum ataque, mas é evidente o descontentamento em relação aos candidatos”, disse Guató, que prometeu expor suas propostas durante o debate.

O candidato do PC do B, Mário Fonseca, afirmou que ia exibir suas ações propositivas e que aposta na oportunidade de fazer um bom trabalho no Senado.

Soraya Thronicke, do PSL, afirmou, antes do debate envolvendo candidatos ao Senado, que os “concorrentes antigos” até aqui não “trouxeram nenhuma novidade”. Ela disse ainda que defende o debate na entidade que defende a educação e vai comentar suas propostas e dizer o que pensa do projeto escola sem partido.

Beto Figueiredo, o candidato ao Senado pelo Podemos, partido aliado ao PDT do juiz federal aposentado Odilon de Oliveira, disse estar pronto para mostrar suas propostas e apoiar o debate que representa parte do “jogo democrático”.

Thiago Freitas, do PPL, que não tem candidato ao governo, disse antes do debate que ia falar sobre o plano nacional de educação que, para ele, “são as melhores propostas para melhorar a qualidade do ensino e também dos profissionais que trabalham na sala de aula”.

Nelsinho Trad, candidato ao Senado pelo PTB, sigla aliada ao candidato à reeleição, o governador Reinaldo Azambuja, do PSDB, disse ter ido ao debate pela importância que são as propostas na área de educação. “Eles [planos de educação] representam a garantia de um futuro melhor”, afirmou o candidato.

Sérgio Harfouche, procurador de Justiça licenciado, candidato ao Senado pelo PSC, destacou a importância do debate “para que possa mostrar todas as suas propostas”. O candidato queixou-se pelo pouco tempo de tevê, daí a aposta nos debates.

Marcelo Miglioli, candidato do PSDB, disse que “é importante estar no meio da discussão sobre a educação, afinal, ali estão os formadores de opinião e isso engrandece as propostas”.

A Fetems informou ter convidado também o ex-senador Delcídio do Amaral, que tenta garantir a candidatura, mas ele não apareceu. 

Valdemir Moka, candidato do MDB, também faltou e a entidade que promoveu o debate não soube informar o motivo.

Veja também