(67) 99826-0686

Ministério Público tira 'terror dos políticos' de grupo anticorrupção

Marcos Alex assume promotoria do Patrimônio Público

13 FEV 2017
Rodson Willyams
13h15min

O promotor de Justiça Marcos Alex Vera é o novo titular da 54ª Promotoria de Justiça para assumir a Promotoria do Patrimônio Público do Ministério Público de Mato Grosso do Sul. A nomeação foi publicada no Diário Oficial do MPE, nesta segunda-feira (13), pelo procurador-geral de Justiça, Paulo Cezar dos Passos.
 
Marcos Alex assume após remoção por permuta, a vaga  antes ocupada pelo promotor Alexandre Pinto Capibaribe Saldanha ex-titular da 54ª Promotoria de Justiça. Segundo Passos, “as remoções estão sendo feitas de maneira voluntária para tornar o Patrimônio Público mais ágil com novos colegas, buscando transformá-lo cada vez mais em um canal para a sociedade com mais celeridade para atuação do Ministério Público”. 

Segundo a assessoria de imprensa do Ministério Publico, Marcos Alex permanece como membro integrar o GECOC (Grupo Especial de Combate à Corrupção), novo braço do Ministério Público Estadual.

Este setor tem aterrorizado envolvidos em esquemas fraudulentos em Mato Grosso do Sul. O GECOC autua em conjunto com o já temido Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado), coordenado pela promotora Cristiane Mourão.

Desempenho
Além do ex-chefe do Gaeco, o promotor de Justiça, Humberto Lapa Ferri, ocupa a vaga de deixada pelo promotor Henrique Franco Cândia, ex-titular da 53ª Promotoria de Justiça. As mudanças ocorrem, após o órgão passar recentemente por correição federal. O relatório do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), constatou que o MPE do Estado, possui investigações deficientes, acumula processo e é lento. 

No entanto, o MPE contesta e afirma que em 2016, o MPMS instaurou mais de 1.600 procedimentos relativos ao patrimônio público e recuperou mais de 224 milhões de reais desviados dos cofres públicos do Estado. No mesmo ano foi criado o Grupo Especial de Combate à Corrupção- GECOC com foco nos crimes relativos ao erário, coordenado pelo Procurador de Justiça Antônio Siufi Neto.

Veja também