TJMS
re9
(67) 99826-0686

Marquinhos Trad e vereadores aliados formalizam apoio à reeleição de João Rocha

Prefeito eleito disse que houve ''consenso'' para manter o tucano à frente da Câmara

24 NOV 2016
Thiago de Souza
18h14min
Marquinhos formalizou apoio a reeleição de João Rocha Foto: Thiago de Souza

''Não é unanimidade, é consenso'', foi com essa frase que o prefeito eleito Marquinhos Trad (PSD), definiu o resultado da reunião com vereadores da base aliada, que formalizou apoio a reeleição do vereador João Rocha (PSDB) à frente da Câmara Municipal de Campo Grande. 

O encontro ocorreu no diretório do PSD (Partido Social Democrático) na tarde desta quinta-feira (24) e reuniu os vereadores Cazuza (PP), Enfermeira Cida (PTN), Otávio Trad (PTB), Roberto Durães (PSC), Vinícius Siqueira (DEM), João Rocha (PSDB), Willian Maksoud Neto (PMN), Delei Pinheiro, Chiquinho Telles, Dharleng Campos (PP) e Ayrton Araújo (PT) e Enfermeiro Fritz (PSD). Delei Pinheiro também estava presente. 

''Os vereadores entenderam que o nome do João Rocha seria o melhor nome para conduzir a Câmara Municipal'', disse Marquinhos. 

Sobre o alinhamento dos vereadores com o seu programa de governo, Trad disse que a política mudou muito. ''Fazer oposição por oposição para apenas ser do contra é algo nocivo para toda a cidade. Hoje as pessoas tem liberdade, não é pelo fato de encontrarmos um consenso, é que todas elas deverão votar dessa ou aquela forma. Diferenças ideológicas e programáticas existirão e a gente tem de saber lidar com isso, explicou. 
Trad também disse que os vereadores apresentaram suas demandas e reclamações e que vai procurar atendê-los da melhor maneira possível.
Secretariado

Marquinhos garantiu que já tem escolhidos todos os secretários, e que vai apresentá-los de uma única vez. "Não vou divulgar os nomes a conta gotas'', anunciou. Trad disse que vai ''ter o time completo'' logo no início do governo para que ele ''já entre governando e não ser governado pelas demandas''. 
Sobre o número de pastas a serem cortadas, Marquinhos não descartou cortes, e que vai esperar a comissão de transição concluir os trabalhos técnicos, e só então tomará as medidas necessárias. 

Veja também