festival de reggae
erro medico
(67) 99826-0686

PMDB em MS acumula dívida de quase meio milhão de reais

Atual presidente, Junior Mochi promete zerar déficit antes de entregar cargo para André Puccinelli

11 NOV 2017
Airton Raes
15h15min
Foto: Reprodução

O presidente estadual do PMDB e presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul, Junior Mochi, terá que lidar com um déficit de R$ 450 mil para poder passar a presidência da sigla ao ex-governador André Puccinelli. Apesar disso, Mochi garantiu que, até o final do ano, todas as pendências do partido serão sanadas.

O partido fechou o ano de 2016 devendo R$ 450 mil, apesar dos repasses do fundo partidário. Para comparação, o partido havia encerrado o exercício de 2015 com saldo de R$ 584 mil para que pudesse ser usado no ano seguinte.     

Junior Mochi confirmou o déficit de quase meio milhão no PMDB, mas garantiu que até final do ano as pendências serão regularizadas. “Até o final do ano vamos zerar esse déficit e fechar o ano com tudo quitado para 2018”, disse.  

Fluxo de caixa

O PMDB de MS recebeu do fundo partidário R$ 1,4 milhão no ano passado. Também tinha recebido mais R$ 310 mil da direção nacional. A despesa com os funcionários do partido é de R$ 675 mil. A manutenção da sede do partido custou R$ 548 mil. Os gastos com as campanhas eleitorais de 2016 foi de R$ 975 mil.

Estrutura

O ex-governador André Puccinelli irá tomar posse da presidência do partido em 18 de novembro em grande ato político. O PMDB de Mato Grosso do Sul atualmente possui dois senadores, um deputado federal, seis deputados estaduais, 17 prefeitos e 115 vereadores. O partido conta com 51.599 filiados.

Veja também