festival de reggae
erro medico
(67) 99826-0686

Às vésperas da eleição, presidência da Assomaul não tem consenso

Prefeito de Bataguassu disputa o cargo

11 JAN 2017
Airton Raes
13h15min
Foto: Assessoria

A Assomasul (Associação dos Municípios de Mato Grosso do Sul) realiza eleição da diretoria para o biênio 2017/2018 em 16 de janeiro. Faltando uma semana para o pleito, ainda não há chapa inscrita para concorrer a eleição. Está em negociação uma chapa de consenso, tendo como presidente o prefeito de Bataguassu, Pedro Arlei Caravina (PSDB).

Caravina afirmou que a chapa já está praticamente formada, faltando acertar apenas alguns cargos menores. O vice-presidente será o prefeito de Figueirão, Rogerio Rosalin (PSDB), o tesoureiro será o prefeito de Jateí, Eraldo Leite (PSB) e como secretário-geral o prefeito de São Gabriel do Oeste Jeferson Tomazoni. “Formamos uma chapa que contempla todos os partidos e regiões. O consenso é muito importante. Em qualquer disputa o mais importante é unificar para podermos conquistar direitos dos municípios”, afirmou Caravina.

Apesar do consenso entre as principais lideranças municipais, a chapa não obteve o consenso de muitas prefeituras. Mas ainda não existe sinal de uma chapa de oposição. “A condução do processo tem que ser feita por quem quer presidir a instituição. É normal que ocorra alguns desentendimentos na véspera da Eleição. Mas o consenso vai prevalecer”, afirmou Eraldo leite.

Como PSDB elegeu 36 prefeitos nas eleições municipais de 2016, o governo do Estado pleiteou que o presidente fosse do partido.  Além do prefeito de Bataguassu, a Assomasul estava sendo disputada por Eraldo Leite, Rogerio Rosalin e pelo prefeito de Coxim, Aluísio São José (PSB).

Ex-presidente da instituição, Eraldo iria disputar a presidência e estava com apoio dos prefeitos, mas abriu mão em favor do PSDB para evitar conflito com o governo do Estado. “O PSDB tem a maioria das prefeituras. Mas a Assomasul não é formada por legendas e sim por prefeituras. Mas nós não poderíamos peitar o governo do Estado nesse momento”, afirmou Eraldo.

Caravina defende a discussão de pautas como a redistribuição dos recursos do Fundersul e do ICMS entre os municípios e o repasse dos recursos do transporte escolar por parte do Governo do Estado. Também discute pautas nacionais, como o veto pelo presidente do Michel Temer à lei que faz com que a cobrança do ISS dos cartões de crédito fiquem com o município de origem. “Temos que pensar em pautas imediatas, mas também de médio e longo prazo. Temos um começo de ano difícil para todas as prefeituras”, afirmou o prefeito.

A diretoria da Assomasul possui os seguintes cargos: Presidente, 1º Vice-Presidente, 2º Vice-Presidente, Secretário-Geral, 1º Secretário-Geral, 2º Secretário-Geral, Tesoureiro Geral, 1° Tesoureiro, Diretoria de Relações Públicas, Diretoria de Assuntos Municipalistas, Diretoria de Patrimônio, Diretoria de Saúde, Diretoria de Cultura, Diretoria Esportiva, além de três membros do Conselho Fiscal e seus respectivos suplentes.

Veja também