Corrida Cassems
studio center
(67) 99826-0686

Presidente da Fiems afirma que reforma marca a modernização trabalhista no país

Sérgio Longen acredita que a aprovação da proposta deve mudar o cenário de 14 milhões de trabalhadores desempregados

12 JUL 2017
Dany Nascimento
09h43min
Foto: Divulgação
politica-interna1
semana do transito

Após a aprovação da reforma trabalhista no Senado, o presidente da Fiems, Sérgio Longen já se manifestou e acredita que este será o primeiro passo para a retomada da geração de empregos no país. Ele destaca que as mudanças na CLT (Consolidação das Leis do Trabalho), podem reverter o atual cenário de 14 milhões de trabalhadores desempregados, por conta da flexibilização das relações entre o empregador e empregado.

Ele afirma ainda, que as oportunidades serão ampliadas, mantendo os direitos conquistados pelo trabalhador, como férias, 13º e FGTS. “A modernização da legislação trabalhista dará ao trabalhador mais liberdade para negociar sua força de trabalho, para adequar sua jornada. São mudanças que representam um avanço nas relações trabalhistas e que marcam o primeiro passo para um Brasil moderno e desenvolvido, onde o foco é a geração de emprego e renda e produtividade”.

O texto foi aprovado com 50 votos favoráveis, 26 votos contrários e uma abstenção. Os senadores sul-mato-grossenses Pedro Chaves, Simone Tebet e Waldemir Moka fazem parte do time que votou a favor da proposta. O presidente da Fiems havia encaminhado ofício aos três representantes do Estado solicitando que votassem a favor do PLC 38/2017.

Longen reforçou acredita que a proposta marcar a modernização da legislação trabalhista, incluindo uma série de outros benefícios como segurança jurídica nas relações do trabalho, e a valorização dos sindicatos laborais e patronais.

Porém, a proposta aprovada no Senado, foi encaminhada para a Câmara dos Deputados e o presidente da Casa de Leis já se pronunciou, alegando que os deputados pretendem rejeitar a proposta, levando em consideração que não foram feitas as alterações solicitadas ao governo.  

 

 

Veja também