(67) 99826-0686

Conheça Ivanildo Miranda, 'Cervejeiro' e delator que levou Puccinelli pra cadeia

Empresário realizou delação premiada após ser denunciado

14 NOV 2017
Airton Raes
18h10min
Foto: Reprodução

A Polícia Federal confirmou que o empresário Ivanildo da Cunha Miranda realizou delação premiada que forneceu as informações necessárias para quinta fase da Operação Lama Asfáltica. Conhecido como Ivanildo Cervejeiro, ele é operador de propinas desde a época do governo do Zeca do PT, passando por André Puccinelli e Reinaldo Azambuja. Ivanildo ganhou o apelido de “cervejeiro” no passado ao conseguir trazer uma cervejaria para Mato Grosso do Sul.

Ivanildo foi citado nas delações premiadas dos executivos da JBS e também na delação do doleiro do ex-deputado Eduardo Cunha, Lúcio Funaro. Durante a operação Máquinas de Lama, a Polícia Federal realizou busca e apreensão de documentos no escritório de Ivanildo.

Wesley Batista revelou que o empreiteiro Ivanildo da Cunha Miranda era o principal intermediador da propina que a empresa repassava ao ex-governador André Puccinelli (PMDB). Conforme a delação, Ivanildo Miranda funcionava como executor dos ajustes para recebimento de propina. Ele negociava formas, prazos e coordenava pagamentos.

Durante o governo André Puccinelli, a propina foi ajustada no valor de 30% sobre o valor do beneficio fiscal. Deste período em diante, Ivanildo Miranda passou a ser o intermediário que operacionalizava o recebimento de propina em nome do então governador do PMDB. De acordo com a delação, Ivanildo Miranda supostamente gerenciou R$ 105 milhões em propinas, sendo R$ 44 milhões pagos a terceiros entre 2007 e 2014 por indicação do próprio Ivanildo.

Lúcio Funaro afirmou que o próprio Ivanildo relatou que operava para Joesley Batista e o Grupo JBS toda parte de isenção fiscal, compensação tributária e todos os assuntos que envolvessem a Secretaria de Fazenda do estado de Mato Grosso do Sul. A pedido de Joesley, Lúcio Funaro fez um pagamento de R$ 1 milhão para Ivanildo, que estava sem dinheiro em espécie disponível naquele momento e que foi creditado na conta corrente.

Veja também