Corrida Cassems
(67) 99826-0686

Reinaldo participa do lançamento de música de Almir Sater em comemoração aos 40 anos do MS

Azambuja foi recepcionado por representantes das comunidades negra, indígenas e paraguaia

15 SET 2017
Notícias MS
10h18min
Foto: Chico Ribeiro/Subcom

Em um ambiente que retratou o que é o Mato Grosso do Sul, montado no Centro de Convenções Arquiteto Rubens Gil de Camillo, o governador Reinaldo Azambuja e o compositor e cantor Almir Sater apresentaram a música criada em comemoração aos 40 anos de criação do Estado.

Acompanhado da primeira-dama do Estado, Fátima Azambuja e do engenheiro Marcelo Miranda, que foi o segundo governador do MS, logo na entrada do Centro de Convenções Reinaldo Azambuja foi recepcionado por representantes das comunidades negra, indígenas e paraguaia. Compondo o cenário, de um lado o Landau preto, usado pelo primeiro chefe do Executivo estadual, Harry Amorim Costa (janeiro a junho de 1979), e do outro a estátua de poeta Manoel de Barros.

No ambiente interno, obras de artistas plásticos sul-mato-grossenses e, no palco, o cenário que lembra o ambiente rural. Ao falar das comemorações pelas quatro décadas de vida de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja afirmou que o tempo mostrou que valeu a pena dividir o Mato Grosso uno para a criação do MS.  “A gente vê o quanto valeu a pena esses 40 anos, o Estado cresceu, se desenvolveu, é pujante, com uma economia forte, e tudo isso construído por essa gente maravilhosa que faz do Mato Grosso do Sul o que somos hoje”, declarou.

O governador destacou que a pluralidade é outra marca forte de Mato Grosso do Sul. “Essa mistura cultural, de pessoas que nasceram aqui, com aqueles que escolheram Mato Grosso do Sul para morar, vieram trazer progresso, desenvolvimento, tem sido importante também. Temos um Estado com uma diversidade enorme na cultura, no meio ambiente. Um Estado de oportunidades”, pontuou. Diversidade lembrada também na composição de Almir Sater, que num dos trechos diz: “40 anos, quanta água rolou, veio gente de fora, com o povo daqui se juntou. Vi crescer Mato Grosso do Sul”.

Reinaldo Azambuja disse ainda, que várias vezes, em conversa com o governador de Mato Grosso, Pedro Taques, tem enfatizado que a Lei Complementar dividiu o Estado, mas não a cultura, a história. “A nossa cultura, a nossa história não se divide nunca”, afirmou. Ao se referir ao potencial sul-mato-grossense, ele destacou que, aliada a determinação da administração estadual em gerir de forma responsável e com visão estratégica o Estado, a dedicação do povo daqui fez com que o MS seja hoje a terceira unidade da Federação a apresentar maior crescimento do Produto Interno Bruto (PIB), resultado do bom desempenho nos setores da agropecuária, indústria e serviços. Só perdendo para Mato Grosso e Maranhão.

Lembrou ainda, que mesmo com a maior crise econômica enfrentada na história do Brasil, Mato Grosso do Sul é um dos poucos estados que vem apresentando saldo positivo na abertura de vagas no mercado de trabalho. “Isso devemos a cada um de vocês, que ajuda a fazer com que o nosso Estado cresça e se desenvolva. Mato Grosso do Sul é hoje um dos melhores estados para se viver, e tenho certeza será melhor ainda”, enfatizou Reinaldo Azambuja.

Veja também